quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Lya Luft

Reverberação
O destino trama os dias
e desfaz o sonho: demarca
meus contornos, partes
disso que sou e serei.

Quem sabe desejei demais:
milagres não me bastaram,
mas quando eu quis ser rainha
fui simplesmente humana.

A voz da vida insiste,
chama para o que salva
ou desatina:
nem sempre a entendi.

Palavras buscam sentido
para o que fiz, falhei,
conquistei e perdi
- ou que me abandonou
nalguma esquina.

(Talvez eu precisasse é dos silêncios.)
(Lya Luft)

terça-feira, 20 de maio de 2014

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Lya Luft

Quem sou
Do pai, a retidão e certa melancolia:
o olhar sobre o que vem atrás
do espelho. Da mãe,
a alegria. Da remota linhagem,
o novelo de fios que tramam
alma e imagem,
ninguém sabe quando e onde.

Mais os trabalhos e a dor, a fantasia,
a obstinada procura, alguma sorte,
muita esperança na bagagem.

(Dissabores fazem parte: maior
foi a celebração da vida.)

Entre o começo e a morte,
mar e miragem:
não há muito de mim
na personagem que contemplas.

(Há que buscar o que ela esconde.)
(Lya Luft)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Dica de diversão - Festa de Santa Rita

Clique nas imagens para vê-las em tamanho maior

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Comercial legal - Evian

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...