sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Bão dimais - Charlote Carioca

CHARLOTE CARIOCA

INGREDIENTES: 1 lata de leite condensado * 1 vez a mesma medida de leite * 4 gemas * 1 pacote de biscoito champanhe
PARA MOLHAR OS BISCOITOS: 4 colheres (sopa) de Nescau * 1 xícara (chá) de leite * 1/2 cálice de licor de cacau
COBERTURA: 1 lata de creme de leite gelado e sem soro * 4 claras * 4 colheres (sopa) de açúcar * 1 xícara (chá) de castanha de caju ou Pará picadinhas
MODO DE FAZER: Misture o leite condensado, o leite e as gemas e leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar. Despeje num pirex retangular médio. Reserve. Misture o nescau , o leite e o licor, e leve ao fogo para aquecer bem. Umedeça cada biscoito nesse molho quente e vá arrumando sobre o creme que está no pirex. Deixe esfriar. Reserve. Bata as claras em neve e junte o açúcar formando um suspiro. Junte ao creme de leite , apenas misturando. Despeje sobre os biscoitos, cobrindo o doce. Salpique por cima castanhas e leve imediatamente a geladeira até o dia seguinte.

Em poucas palavras - Anais Nin

Nós não vemos as coisas como elas são, vemo-las como nós somos. (Anais Nin)

Serviço - Conta de água terá reajuste de 3,96% em março, em Minas

As tarifas de água e esgoto da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e da Copanor - Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais sofrerão reajuste de 3,96%, anunciou nesta quinta-feira a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG). A nova tarifa entrará em vigor no próximo dia 1º de março.
O índice é pouco superior ao proposto inicialmente pelo órgão regulador, de 2,9%, e que foi submetido à avaliação da população por meio de audiência pública, entre os dias 7 e 18 de janeiro. No entanto, foi menor ao que havia sido autorizado para a companhia no ano passado, de correção de 9,05%, em média, e que começaria a vigorar sobre o consumo faturado a partir do dia 2 de março de 2009.
À época, porém, o Ministério Público Estadual obteve a suspensão da correção, por meio de liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ-MG). O principal argumento utilizado pelos procuradores foi a ausência do órgão regulador no Estado, conforme exige a legislação.
Para a Copasa, a correção deveria considerar a variação dos custos administráveis e não administráveis, com base no IGP-M acumulado desde março de 2008 - quando as tarifas foram corrigidas pela última vez -, além de um porcentual de remuneração dos ativos. Dessa forma, a tarifa deveria incluir a variação do IGP-M sobre todo o período, que chega a 22 meses. A Arsae-MG não informou o índice de reajuste reivindicado pela concessionária.
No texto da resolução, publicado nesta quinta-feira no Diário Oficial do Estado, o órgão regulador justifica que "as tarifas devem permitir a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro do conjunto das concessões da empresa e serem suficientes para gerar recursos para fazer face aos custos da prestação eficiente dos serviços".
(Estado de Minas em 28/01/2010)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Dica de leitura - O apanhador no campo de centeio

O livro, narrado em primeira pessoa, conta alguns dias na vida de Holden Caufield um adolescente de 16 anos que após ser expulso da sua terceira escola bem às vésperas do natal, nos Estados Unidos do pós-guerra. Então, resolve voltar mais cedo para casa, sozinho, sem avisar aos pais e a ninguém. Caulfield vai revelando, aos poucos, algo sobre o seu passado, sua família e seus conhecidos, ao mesmo tempo em que vagueia por Nova Iorque pulando de uma encrenca para outra. E, para alguém entediado e deprimido como ele, nada melhor que uma encrenca para manter o interesse.Com um fundo psicológico bastante intenso, humor negro e digressões durante todo o livro, o leitor mergulha no mundo de Caufield e sente sua melancolia e completa descrença nas pessoas que o rodeiam, além de se sentir um pouco como o jovem e inquieto narrador.

Autor de "O Apanhador no Campo de Centeio" morre aos 91 anos

WASHINGTON (Reuters) - O recluso escritor norte-americano J.D. Salinger, que escreveu o clássico da literatura norte-americana "O Apanhador no Campo de Centeio", morreu em New Hampshire aos 91 anos de idade, disse seu agente na quinta-feira. "Ele morreu ontem em sua casa em New Hampshire", disse o agente literário Phyllis Westberg.
"O Apanhador" foi publicado em 1951, e a história de alienação e rebeldia do heroi adolescente Holden Caulfield ressoou imediatamente entre leitores jovens. O livro foi traduzido para várias línguas e vendeu mais de 65 milhões de cópias.
Salinger estava recluso desde 1953, protegendo sua privacidade ferozmente na pequena cidade de Cornish, no noroeste de New Hampshire.
O escritor publicou apenas alguns livros e coletâneas de contos em sua carreira, inclusive "Nove Estórias", "Franny e Zooey", "Carpinteiros, Levantem bem Alto a Cumeeira" e "Seymour - Uma Introdução".
Seu último livro foi publicado em 1965.
Vizinhos em Cornish raramente o viam e ele nunca respondia a telefonemas ou cartas de admiradores. Assim, Salinger teria sido um desapontamento para seu personagem mais famoso.
"O que realmente me impressiona", disse Caulfield em "O Apanhador no Campo de Centeio", "é um livro que, quando você acaba de lê-lo, você deseja que o autor que o escreveu fosse um amigo incrível seu e que você pudesse ligar pra ele quando sentisse vontade".
Jerome David Salinger nasceu em Manhattan, Nova York, em 1919.

Pátria Minas - A pesquisadora e o mineirinho

Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um sitiozinho perdido no interior de Minas.
- Essa terra dá mandioca?
- Não, senhora. – responde o roceiro.
- Dá batata?
- Tamém não, senhora!
- Dá feijão?
- Nunca deu!
- Arroz?
- De jeito nenhum!
- Milho?
- Nem brincano!
- Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
- Ah! … Se pranta é diferente…

Na vitrola aqui de casa - Perhaps love

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Adélia Prado

O vestido


No armário do meu quarto escondo de
tempo e traça meu vestido estampado
em fundo preto.
É de seda macia desenhada em
campânulas vermelhas à ponta
de longas hastes delicadas.
Eu o quis com paixão e o vesti como um rito,
meu vestido de amante.
Ficou meu cheiro nele, meu sonho, meu corpo ido.
É só tocá-lo, volatiza-se a memória guardada:
eu estou no cinema e deixo que segurem minha mão.
De tempo e traça meu vestido me guarda.
(Adélia Prado)

Pátria Minas - Jeito mineiro

"Todo mineiro tem um trem de ferro apitando nas veias, uma montanha brilhando nos olhos e uma banda tocando nos ouvidos." (Jorge Fernando dos Santos)

A arte do Origami - Marcador de livros com coração


Instruções:
1- Dobre (para trás) um papel quadrado ao meio para fazer um vinco.
2- Corte com uma tesoura e descarte uma metade.
3-Dobre ao meio (para trás) para fazer um vinco.
4-Dobre novamente ao meio (para trás) para fazer um vinco.
5-Dobre (para trás) a quina direita superior para fazer um vinco.
6-Dobre na linha marcada (medida da dobra da quina).
7-Traga as pontas superiores até o centro.
8-Dobre para trás na linha marcada.
9-Abra a parte marcada com uma seta e achate trazendo a lateral para o centro.
10-Abra a parte marcada com uma seta e achate trazendo a lateral para o centro.
11-Dobre as pontinhas para frente.
12-Vire.
13-Pronto! Aí está o seu marcador de livros.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Na vitrola aqui de casa - You´ve got a friend

Pátria Minas - Trem de mineiro

A palavra trem, muito familiar aos mineiros, vem do francês/inglês train e possui diversas acepções: 1) conjunto de objetos que formam a bagagem de um viajante; 2) comitiva; 3) mobiliário de uma casa; 4) conjunto de objetos apropriados para certos serviços; 5) carruagem, sege; 6) comboio ferroviário; 7) bateria de cozinha; 8) qualquer objeto ou coisa, negócio, treco, troço.
O sentido de comboio ferroviário, como se vê, é apenas o sexto e recebeu o nome de trem porque transportava os trens das pessoas. Vale lembrar que, anos atrás, o transporte ferroviário era o mais importante, embora merecesse, até dos próprios mineiros, justas críticas. Por exemplo: as iniciais da Rede Mineira de Viação (RMV) eram conhecidas, nas Alterosas, como Ruim Mas Vai...

Pátria Minas - Jeito mineiro

O mineiro escuta, espia, indaga, protela,
tolera, sorri, escapole, se retarda, faz
véspera, tempera, cala a boca, matuta,
engabela, se prepara e no fim exclama:
Nossa Senhora.
(Guimarães Rosa)

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Pátria Minas - Mineiro não deixa por menos

Como sou mineira, nada como uma boa piada da terrinha…
Durante escavações nos EUA, arqueólogos descobriram a 100m de profundidade, vestígios de fios de cobre que datavam do ano 1000. Os americanos concluíram que seus antepassados já dispunham de uma rede telefônica naquela época.

Os argentinos, para não ficarem para trás, escavaram também seu sub-solo, encontrando restos de fibras ópticas a 200m de profundidade. Após minuciosas análises, concluíram que elas tinham 2.000 anos de idade. Os argentinos concluíram triunfantes, que seus antepassados já dispunham de uma rede digital a base de fibra óptica quando Jesus nasceu!

Uma semana depois, em Belo Horizonte, foi publicado o seguinte anúncio:
Após escavações arqueológicas no sub-solo de Santa Rita do Sapucaí, Contagem, Betim, Barbacena, Formiga, Juiz de Fora, Varginha, Poços de Caldas, Itajubá, Lagoa Dourada, São João Del Rey e diversas outras cidades mineiras, até uma profundidade de 500 metros , os cientistas Mineiros não encontraram absolutamente nada.Assim se conclui que os antigos Mineiros já dispunham há 5.000 anos de uma rede de comunicações sem-fio: wireless. (por isso se pronuncia: “uai”-re-less).

Serviço - Veja o calendário de vacinação contra a gripe A no Brasil

O Ministério da Saúde anunciou hoje o cronograma de imunização contra a gripe suína (H1N1) e investimentos contra a segunda onda da doença. Serão 83 milhões de doses da vacina. A estimativa do governo é imunizar 62 milhões de brasileiros.
Haverá quatro etapas de vacinação, de 8 de março a 7 de maio. Caso ocorram alterações na situação epidemiológica ou na disponibilidade da vacina, outros grupos poderão ser vacinados numa quinta etapa.


Datas

A primeira fase da vacinação, de 8 a 19 de março, imunizará os trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia e a população indígena. Entre os trabalhadores, estão médicos, enfermeiros, recepcionistas, pessoal de limpeza e segurança, motoristas de ambulância, equipes de laboratório e profissionais que atuam na investigação epidemiológica. A vacinação dos indígenas abrangerá a totalidade da população que vive em aldeias e será realizada em parceria com a Funasa (Fundação Nacional de Saúde).
A segunda etapa, entre 22 de março e 2 de abril, abrangerá grávidas em qualquer período de gestação, pessoas com problemas crônicos (exceto idosos, que serão chamados posteriormente) e crianças de seis meses a dois anos. Na lista, entram doenças do coração, pulmão, fígado, rins e sangue; diabéticos, pessoas com debilitação do sistema imunológico e obesos grau 3 --os antigos obesos mórbidos. As gestantes começam a ser imunizadas nesse período e poderão tomar a vacina em qualquer outra etapa.
As crianças de 6 meses a 2 anos devem receber meia dose da vacina e, depois de 21 dias, poderão tomar a outra meia dose.
Adultos de 20 a 29 anos são o público-alvo da terceira fase, que vai de 5 a 23 de abril. A quarta e última etapa, de 24 de abril a 7 de maio, coincide com a campanha anual de vacinação contra a gripe comum. Nesse período, os idosos serão imunizados para a influenza sazonal, como todos os anos. Se tiverem doenças crônicas, receberão também a vacina contra a gripe pandêmica. A estratégia foi elaborada de forma que a população dessa faixa etária se dirija aos locais de vacinação apenas uma vez.

Veja a lista de doenças crônicas

-Obesidade grau 3 - antiga obesidade mórbida (crianças; adolescentes e adultos);
-Doenças respiratórias crônicas desde a infância (exemplos: fibrose cística, displasia broncopulmonar);
-Asmáticos (formas graves);
-Doença pulmonar obstrutiva crônica e outras doenças crônicas com insuficiência respiratória;
-Doença neuromuscular com comprometimento da função respiratória (exemplo: distrofia neuromuscular);
-Imunodeprimidos (exemplos: pacientes em tratamento para aids e câncer ou portadores de doenças que debilitam o sistema imunológico);
-Diabetes mellitus;- Doença hepática (exemplos: atresia biliar, cirrose, hepatite crônica com alteração da função hepática e/ou terapêutica antiviral);
-Doença renal (exemplo: insuficiência renal crônica, principalmente em pacientes com diálise);
-Doença hematológica (hemoglobinopatias);
-Pacientes menores de 18 anos com terapêutica contínua com salicilatos (exemplos: doença reumática auto-imune, doença de Kawasaki);
-Portadores da Síndrome Clínica de Insuficiência Cardíaca;
-Portadores de cardiopatia estrutural com repercussão clínica e/ou hemodinâmica (exemplos: hipertensão arterial pulmonar, valvulopatias, cardiopatia isquêmica com disfunção ventricular).
(Ministério da Saúde)

Bão dimais - Mousse de limão

MOUSSE DE LIMÃO

INGREDIENTES: 1 lata de leite condensado * 1 lata de creme de leite * 1/2 xícara (chá) de suco de limão * 3 claras em neve * raspas de 1 limão
MODO DE FAZER: Misture bem o leite condensado e o creme de leite. Junte aos poucos o suco de limão, mexendo sempre. Acrescente ainda as raspas de limão e por último incorpore delicadamente as claras batidas em neve. Leve a geladeira, em taças, por aproximadamente 4 horas.

Pátria Minas - Uai


O berço da expressão popular dos mineiros UAI

Segundo o odontólogo Dr. Sílvio Carneiro e a professora Dorália Galesso, foi o presidente Juscelino Kubitschek que os in-centivou a lhe pesquisar a origem. Depois de exaustiva busca nos anais da Arquidiocese de Diamantina e em antigos arquivos do Estado de Minas Gerais, Dorália encontrou explicação provavelmente confiável.
Os Inconfidentes Mineiros, patriotas mas considerados subversivos pela Coroa Portu-guesa, comunicavam-se através de senhas, para se protegerem da polícia lusitana. Como conspiravam em porões e sendo quase todos de origem maçônica, recebiam os compa-nheiros com as três batidas clássicas da Maçonaria nas portas dos esconderijos. Lá de dentro, perguntavam: quem é ?, e os de fora respondiam : UAI - as iniciais de União, Amor e Independência. Só mediante o uso dessa se¬nha a porta seria aberta aos visitantes.
Conjurada a revolta, sobrou a senha, que acabou virando costume entre as gentes das Alterosas. Os mineiros assumiram a simpática palavrinha e, a partir de então, a incorpora-ram ao vocabulário quotidiano, quase tão indispensável como tutu e trem. Uai, sô ...
A materia acima saiu no Jornal Correio Brasiliense.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Pátria Minas - Desenredo

Dica de leitura - A cor púrpura


A Cor Púrpura é um romance feminista sobre a força e dignidade do espírito humano. Foi publicado nos Estados Unidos em 1983 e logo se tornou um grande sucesso de público e crítica ganhando, no mesmo ano, o Prêmio Pulitzer de ficção.
A personagem principal, Celie, negra, semi-analfabeta, vivendo no Sul dos Estados Unidos, vive entre cuidar da família e planejar uma vida diferente da sua para a irmã, Nettie. Ela estava condenada ao silêncio. Uma mulher, negra e quase analfabeta, vivendo nos campos ensolarados do sul dos Estados Unidos, onde a opressão é tão certa quanto a pobreza e o desamor. Violada, brutalizada até mesmo pelos homens negros, ela então começou a escrever para Deus.
Acompanhamos sua vida por mais de trinta anos, por meio das cartas que escreve para Deus e, posteriormente, para a irmã. Em oposição à solidão, pobreza, brutalidade e violência, Celie vai descobrir outras maneiras de sentir.

Em poucas palavras - Mark Twain

Cada um de nós é uma lua e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém . (Mark Twain)

Pátria Minas - A palavra Minas


A palavra Minas

Minas não é palavra montanhosa
É palavra abissal
Minas é dentro e fundo
As montanhas escondem o que é Minas
No alto mais celeste, subterrânea,
é galeria vertical varando o ferro
para chegar ninguém sabe onde.
Ninguém sabe Minas. A pedra
o buriti
a carranca
o nevoeiro
o raio
selam a verdade primeira,
sepultada em eras geológicas de sonho.
Só mineiros sabem.
E não dizem nem a si mesmos o
irrevelável segredo
chamado Minas.
(Carlos Drummond de Andrade)

Pátria Minas - Migração reduz população de 157 municípios mineiros


A redução da população em 157 municípios, que representam 18% das 853 cidades de Minas Gerais, é comprovada pela comparação entre o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), de 2000, o último a ser realizado no país, e a estimativa populacional elaborada pelo mesmo instituto, em 2009. Minduri é um dos melhores exemplos para ilustrar as migrações no estado, pois a procura por emprego lidera as mudanças de famílias de uma cidade para outra. “Vários motivos explicam o fenômeno e, sem dúvida, a procura por posto de trabalho é o principal deles”, endossa José Irineu Rigotti, professor do Programa de Pós-Graduação em Tratamento da Informação Espacial da PUC Minas.
Se por um lado muitas cidades perderam moradores na última década, por outro, a população cresceu em outras 696. Em apenas um município, Santa Rita de Ibitipoca, na Zona da Mata, a 240 quilômetros da capital, permaneceu com o mesmo número de habitantes entre 2000 a 2009: 3.847 pessoas. Em Belo Horizonte, a população passou de 2,23 milhões de moradores para 2,45 milhões no período. Porém, o número poderia ser bem maior não fosse a quantidade de pessoas que se mudaram para outras cidades da região metropolitana, mas que continuam estudando ou trabalhando em BH.
Um dos principais destinos foi Nova Lima, onde o total de habitantes passou de 64,3 mil para 76,6 mil em 10 anos (aumento de 19%). “Um fenômeno da migração é a perda das capitais para seu entorno”, informa Rigotti. No caso de Nova Lima, a maioria dos novos moradores é das classes média e alta. Do outro lado da moeda, Ribeirão das Neves, conhecida por ser uma cidade dormitória, recebe muitos moradores da classe social menos favorecida. Lá, a população subiu de 246 mil para 349 mil (crescimento de 41%). Mas a cidade que mais recebeu população neste intervalo foi Nova Serrana, onde o total de moradores cresceu 81,5%.

Veja as cidades mineiras que "encolheram"

(Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas em 25/01/2010)

Na vitrola aqui de casa - Onde eu nasci passa um rio

Pátria Minas - Santa Rita do Sapucaí

( Vista da rampa de voo livre na Reserva Biológica de Santa Rita do Sapucaí)
Quem disse que Minas não tem mar, está redondamente enganado. Minas tem um mar de montanhas com grandes ondas que brincam com a luz do sol. A visão que se tem desse lugar é inesquecível.
"Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas."(Carlos Drummond de Andrade)

domingo, 24 de janeiro de 2010

Pátria Minas - Ser mineiro


Ser mineiro

“Ser mineiro é não dizer o que faz , nem o que vai fazer,
é fingir que não sabe aquilo que sabe,
é falar pouco e escutar muito,
é passar por bobo e ser inteligente,
é vender queijos e possuir bancos.

Um bom mineiro não laça boi com imbira,
não dá rasteira no vento,
não pisa no escuro,
não anda no molhado,
não estica conversa com estranhos,
só acredita na fumaça quando vê fogo,
só arrisca quando tem certeza,
não troca um pássaro na mão por dois voando.

Ser mineiro é dizer "uai", é ser diferente,
é ter marca registrada, é ter história.
Ser mineiro é ter simplicidade e pureza,
humildade e modéstia,
coragem e bravura,
fidalguia e elegância.

Ser mineiro é ver o nascer do sol e o brilhar da lua,
é ouvir o cantar dos pássaros e o mugir do gado,
é sentir o despertar do tempo e o amanhecer da vida.

Ser mineiro é ser religioso e conservador,
é cultivar as letras e artes é ser poeta e literato,
é gostar de política,
é amar a liberdade,
é viver nas montanhas,
é ter a vida interior,
é ser gente ".

(José B. Queiroz)

Pátria Minas

Começo hoje um novo marcador sobre Minas Gerais, porque todo mundo diz que Minas é um trem bão demais. E eu? Eu sô mineira, uai.

Você sabia? - 'Por Deus, tenham um blog!', diz papa aos padres

VATICANO - "Por de Deus, tenham um blog!", disse o papa Bento XVI aos padres católicos neste sábado, afirmando que eles devem aprender a usar novas formas de comunicação para espalhar as mensagens do evangelho. Em sua mensagem para a Igreja Católica no Dia Mundial da Comunicação, o papa, 82 anos e conhecido por não amar computadores ou a Internet, reconheceu que os padres devem aproveitar ao máximo o "rico menu de opções" oferecido pelas novas tecnologias.
- Os padres são assim desafiados a proclamar o evangelho empregando as últimas gerações de recursos audiovisuais - imagens, vídeos, atributos animados, blogs, sites - que juntamente com os meios tradicionais podem abrir novas visões para o diálogo, evangelização e catequização - disse ele.
Os padres, disse ele, precisam responder aos desafios das "mudanças culturais de hoje" se quiserem chegar aos mais jovens.
Mas Bento XVI alertou os padres de que não tentem tornarem-se estrelas da nova mídia. "Os padres no mundo das comunicações digitais devem ser mais chamativos pelos seus corações religiosos do que por seus talentos comunicativos", disse ele.
No ano passado um novo site do Vaticano, www.pope2you.net, foi lançado, oferecendo um novo aplicativo chamado "O Papa se encontra com você no Facebook", e outro permitindo acesso aos discursos e mensagens do Papa nos iPhones ou iPods dos fiéis.
Bento XVI ainda escreve a maior parte de seus discursos à mão, em alemão, e seus ajudantes mais jovens ficam a cargo de colocá-los em conteúdo digital.
Acesse o blog de Bento XVI:
http://thepopeblog.blogspot.com/

(O Globo em 23/01/2010)

Na vitrola aqui de casa - One love

Em poucas palavras - Carlos Drummond de Andrade

Há vários motivos para não amar uma pessoa, e um só para amá-la; este prevalece. (Carlos Drummond de Andrade)

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Antônio Campos

Achei esse poema no blog da Maria Helena Rubinato. Tem tudo a ver com o texto que postei abaixo.


O Aniversário

Neste dia de aniversário,
recordo e lembro, no embalo
das velhas amizades, o peso
da gasta palavra saudade.

Carrego além do corpo
a danada mania das lembranças,
na busca de salvar do tempo
reinos e sonhos da infância.

Por isso, triste,
busco as fugidias alegrias,
insisto e teimo na teimosia
de querer viver antes e além dos dias.

Modifico, transformo e faço
o meu próprio calendário,
que o tempo também se inventa
apesar do seu indomável itinerário.
(Antônio Campos)

Antônio Campos, advogado e escritor, pertence à Academia Pernambucana de Letras.
Nasceu em 1968, no Recife, onde se bacharelou em Direito em 1990, sendo hoje advogado especializado em Direito Empresarial e Direito do Entretenimento. Além disso, é presidente do Instituto Maximiano Campos, sociedade civil voltada a valorização da cultura brasileira, especialmente dos valores literários, com ampla atuação em Pernambuco e no Nordeste.
Publicou os seguintes livros: Mensagens (2002); Pense S. A. (2002); O Grande Portal (20Q3); Direito Eleitoral - Eleições 2004 (2004); Viver é Resistir (2005); além da plaquete A Arte de Advogar (2004). Também organizou obras como a coletânea Pernambuco, Terra da Poesia (2005) e Panorama do Conto em Pernambuco.
Co-fundador do Instituto de Direito Privado da Faculdade de Direito do Recife, Antonio Campos pertence a várias entidades culturais e profissionais, a exemplo da União Brasileira de Escritores - Seção de Pernambuco; da Associação de Imprensa de Pernambuco, onde é conselheiro; da Academia de Artes e Letras de Pernambuco; e do 2° Conselho de Contribuintes da Receita Federal. Na área literária, tem se destacado como curador da Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas - Fliporto, uma das mais bem-sucedidas iniciativas do País nesse campo de atuação.

O primeiro vestido MEU

(Eu sou essa menina à direita, ao lado do meu avô Delcides. Que pena que a foto não é em cores e nem dá para ver o modelo do vestido.)

O primeiro vestido MEU

Era meados de 1963. Na família toda não se falava em outra coisa que não fosse o aniversário de 90 anos de minha bisavó que ia acontecer no dia 14 de Dezembro. Apenas três dias depois do meu, que não era nem notícia. Creio que nem a Rainha-mãe da Inglaterra teve uma data tão esperada.
Para mim era como se fosse ver o mar pela primeira vez. Ganharia um vestido novo.
Vocês não podem imaginar o que isso significava na cabecinha de uma garota de sete anos, terceira filha numa penca de várias outras. Até então eu só tinha tido vestidos herdados de irmãs mais velhas ou vestidos iguais.
Minha mãe tinha a horrível mania de comprar muitos metros de um mesmo tecido e mandar fazer vestidos do mesmo modelo para o trio: Fátima, Lúcia e eu. Eram nossos vestidos para festas e eventos especiais. Como eu sofria com isso! Sabia de cara que iria usar o mesmo vestido por pelo menos seis, sete anos.
Dedução simples: Mãe de criança pequena manda fazer a roupa maiorzinha para servir por mais tempo. Se cada uma usasse o vestido por dois anos, eu usaria o meu, depois o da Lúcia e ainda o da Fátima que me seriam repassados. Se na época os pais tirassem tantas fotos dos filhos como fazemos hoje, certamente as pessoas pensariam que eu não crescia ou que o vestido esticava.
Lembro-me muito bem de um (na verdade, de três) amarelinho estampado com pequenos quadradinhos azuis e vermelhos. Era recortado na cintura, saia rodada com dois bolsos chapados na frente. A blusa, de manguinhas curtas, era abotoada até a cintura e tinha uma gola redonda. Nas beiradas, dos bolsos e das mangas, havia um passa-fita de bordado inglês por onde corria um viés vermelho para combinar com a estampa. O último que usei desses era um pouco diferente. Depois de uns seis anos de uso - com o tempo e as lavagens constantes - o viés era rosa, pois tinha desbotado bastante.
Na minha terra isso se chamava par de jarras. Não entendia bem como podia ser par, se três era um número ímpar, mas adulto tinha dessas coisas incompreensíveis. Depois entendi que eles usavam a palavra par como sinônimo de igual, não interessava quantos objetos fossem.
Agora não. Era como se fosse meu baile de debutante. Eu ia poder escolher o tecido e o modelo para o vestido dos anos de minha bisavó.
Como era um evento mais que especial quem iria fazê-lo era a Dona Zica, esposa do seu Cunha, nossa vizinha na Vista Alegre. Costureira de mão cheia, mas muito careira para o nosso padrão diário.
Foi um sem fim de idas na casa dela. Primeiro para escolher o modelo. Folheei não sei quantas revistas de vestidos infantis. Meus neurônios entraram em parafuso. Queria todos e tinha que escolher apenas um. Decidia, mas quando virava a página já tinha dúvida se queria mesmo aquele. De repente vi um que me encantou e então olhei para todo o resto com um quê de desdém. Já estava escolhido, nada mais me interessava.
Ela então olhou o escolhido e determinou quais os aviamentos e a quantidade de tecido e forro que deveriam ser comprados. Também ia ser meu primeiro vestido forrado e eu estava achando tudo aquilo muito chique.
Escolhi um tecido rosa e branco de listras finas. Nas listras rosa havia pequeninos losangos de um azul bem clarinho.
Depois de tudo providenciado, era hora de tirar as medidas e esperar a chamada para a primeira prova. Os dias iam passando e nada. Achei tão demorado que comecei a duvidar da competência da costureira. Pensava: Será que escolhi um modelo muito difícil? Certamente ela inutilizou o pano do meu vestido e não tem coragem de contar para minha mãe.
Um dia chegou o esperado recado através de sua filha Maria Luíza e lá fui eu mais que depressa. Que decepção! Era ainda um protótipo de vestido, todo alinhavado e sem forro. Alfineta daqui e dali e ele foi então tomando a forma desejada.
Depois disso, teve mais umas não sei quantas provas. Para prender o fecho , marcar a bainha, etc. Eu não conseguia entender porque a Dona Zica não fazia tudo de uma só vez. Penso que era para aumentar a minha agonia e expectativa. No final, ele ficou muito lindo. Em uns recortes que havia na saia e perto do decote quadrado, ela colocou pequeninas pregas que escondiam as listras brancas. Um trabalho de mestra!!! Muito mais bonito do que o da revista. Digno de um figurino (era assim que as mulheres adultas chamavam as revistas com modelos de roupas- e chamam até hoje).
Agora era aguardar o grande dia da festa.
O vestido ficou lá, pendurado no guarda-roupa, passado e sendo conferido todos os dias. Diferente. Único. Singular. Inesquecível.
Muito mais que lindo, ele era o primeiro vestido verdadeiramente MEU.

P.S. : Sobre a festa, eu conto outro dia.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Fiquei muito triste quando li isso - Desenvolvimento educacional no Brasil é pior que no Paraguai, Equador e Bolívia, diz relatório da Unesco

O relatório Educação para Todos, divulgado pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) mostra que a baixa qualidade do ensino nas escolas brasileiras ainda deixa milhares de crianças para trás e é diretamente responsável por manter o país na 88ª posição no Índice de Desenvolvimento Educacional (IDE), atrás de países mais pobres como Paraguai, Equador e Bolívia. Em 2000, mais de 160 países assinaram o compromisso Educação para Todos, que previa o cumprimento de seis metas incluindo a universalização do ensino fundamental, a redução da taxa de analfabetismo e a melhoria da qualidade do ensino.
A Noruega lidera o ranking da Unesco. Ela e mais 60 países estão no grupo daqueles que já cumpriram ou estão perto de atingir todos os objetivos firmados no compromisso.
Ao analisar o cumprimento das quatro principais metas estabelecidas pela Unesco, constata-se que o Brasil tem um bom desempenho no que se refere à alfabetização, ao acesso ao ensino fundamental e à igualdade de gênero. Mas tem um baixo desempenho quando se analisa o percentual de alunos que conseguem passar do 5° ano do ensino fundamental.
O relatório aponta que o Brasil apresenta alta repetência e baixos índices de conclusão da educação básica. Na região da América Latina e Caribe, a taxa de repetência média para todas as séries do ensino fundamental é de 4,4%. Mas no Brasil, o índice é de 18, 7% - o maior de todos os países da região.
O Globo em 20/01/2010)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Na vitrola aqui de casa - Eu não existo sem você

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Florbela Espanca

Hoje o poema é cantado por Luís Represas. O poema é de Florbela Espanca.


Em poucas palavras - Marcel Proust

A sabedoria não se transmite, é preciso que nós a descubramos fazendo uma caminhada que ninguém pode fazer em nosso lugar e que ninguém nos pode evitar, porque a sabedoria é uma maneira de ver as coisas. (Marcel Proust)

Serviço - Tatuar ideogramas pode ser um grande mico

Moda do ideograma faz jovem tatuar símbolo errado

"Tem saído muito amor e felicidade", diz o tatuador, olhar sério, ao abrir seu catálogo de símbolos orientais em um estúdio da Galeria do Rock, no centro de São Paulo. Virou moda. Todo dia aparece quem queira "traduzir" de estados etéreos de espírito a nomes próprios por meio de ideogramas --só não sabem que os álbuns são improvisados a partir da internet, com desenhos sem sentido ou, no mínimo, inesperados.
"Olhei o livrinho, estava escrito "paz". Tatuei e ficou bonito", diz Leandro Djehdian, 25. "Mas aí procurei "paz" em outros lugares e não era igual."
Dono de loja de produtos de R$ 1,99, ele mostrou o desenho aos chineses do ramo. "Aí eles disseram que era "ladrão"." Pior foi quando viajou à China a trabalho: passou dias de calor e manga comprida. "Já pensou se um "china" me bate?"
Não bateram, mas ele se livrou do desenho. "Aquilo não era "paz" nem aqui nem na China", ironiza Martin Tattoo, que fez o "cover" (tatuagem parar "cobrir outras que não agradaram o cliente"). Djehdian pagou R$ 50 pelo falso ideograma; e R$ 500 para escondê-lo.
"Não sei por que virou moda no Brasil", diz a vice-diretora da escola Chinbra, Liang Yan. "Recebo todo dia e-mail querendo saber como se escreve nome com ideogramas." Só que nomes ocidentais não têm símbolos em mandarim. A escrita sai por pronúncia aproximada. "E eles fazem até de cabeça para baixo", diz, rindo.
T.F. não riu. "Tatuei ou quis tatuar "paz"." Ele descobriu o engano em casa, ao mostrar o desenho a um chinês pela internet. O professor de mandarim (que procurou depois) confirmou: os símbolos estavam trocados. "Mas vou tentar cobrir", diz o rapaz; que, até lá, só terá "paz" na frente do espelho.
É preciso pesquisar. Até porque, brinca a professora Yan: "Nunca vi tatuador em curso de mandarim".
(Willian Vieira - Folha de São Paulo em 07/10/2008)

Bão dimais - Pudim Sorvetão

PUDIM SORVETÃO

INGREDIENTES: 1 lata de leite condensado * 2 vezes a mesma medida de leite * 4 ovos * 1 e ½ xícaras (chá) de açúcar * 4 colheres (sopa) de chocolate em pó * 8 colheres (sopa) de açúcar * 1 lata de creme de leite
MODO DE FAZER: Colocar em uma panela, o leite condensado, o leite e as gemas. Leve ao fogo até ferver. Desligue e deixe esfriar bem. Faça uma calda de caramelo queimando 1 e 1/2 xícara de açúcar, sem água, e caramelize uma forma para pudim. Em outra panela, leve ao fogo 1/2 copo de água com o chocolate. Depois de fervido despeje em cima da forma caramelada. Bata as claras em neve com 8 colheres de açúcar e o creme de leite. Junte ao creme de gemas. Misture bem e despeje na forma. Leve para congelar. Depois de congelado, molhe a forma para desenformar. Mantenha no congelador.

Serviço - Prêmio Sebrae Minas Design

O Prêmio Sebrae Minas Design é a oportunidade para estudantes e profissionais de design de todo o Brasil apresentarem projetos inovadores para micro e pequenas empresas (MPEs).
O objetivo do prêmio é estimular o desenvolvimento de produtos originais, funcionais e que contribuam para otimizar processos, economizar recursos, eliminar desperdícios e aumentar a competitividade de micro e pequenas empresas de Minas Gerais.
A iniciativa contribui para disseminar a importância do design, aproximar profissionais de design e MPEs e gerar oportunidades de negócios.
A primeira edição do Prêmio, em 2008, teve mais de 120 projetos inscritos, 56 trabalhos finalistas e 12 vencedores.

2ª edição

O Prêmio irá abranger os seguintes setores econômicos:
• Ardósia - Papagaios/MG
• Calçados - Nova Serrana/MG
• Eletroeletrônicos - Santa Rita do Sapucaí/MG
• Móveis - Ubá/MG
• Resíduos da Construção Civil • Resíduos (ardósia, calçados, eletroeletrônicos, móveis)

Premiação

1. Participação na Mostra do 2º Prêmio Sebrae Minas Design, a ser realizada em Belo Horizonte.
2. Participação no Catálogo do 2º Prêmio Sebrae Minas Design, a ser distribuído pelo SEBRAE-MG para as empresas dos setores e municípios selecionados nesta edição.
3. Os projetos finalistas receberão Certificado de Reconhecimento.
4. Os projetos vencedores, nas categorias Profissional e Estudante, receberão o troféu do 2º Prêmio Sebrae Minas Design.
5. Os vencedores nas duas categorias participarão de missão internacional, organizada pelo SEBRAE-MG. Em se tratando de trabalho em equipe, participará da missão um representante do grupo.

Inscrições abertas até 31 de março.

Dica de leitura - O menino do dedo verde


Era uma vez Tistu...Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo."O Menino do Dedo Verde", de Maurice Druon, tornou-se um clássico da literatura para crianças e jovens em todo o mundo e permanece atual há três décadas, sendo adotado em escolas do Ensino Fundamental todos os anos. Esta fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; e foi pioneira ao abordar o tema ecologia.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Em poucas palavras - Antonio Jacinto

Em poucas palavras

"Nesta vasta plantação, não é a chuva, mas o suor do meu rosto que irriga as colheitas." (Antonio Jacinto - poeta angolano)

Na vitrola aqui de casa - Back home to me

Bão dimais - Pãezinhos de batata com requeijão

PÃEZINHOS DE BATATA COM REQUEIJÃO

INGREDIENTES: 60 gramas de fermento para pão * 1 colher (sopa) de açúcar * 1/2 copo americano de água morna * 4 ovos * 500 gramas de batata pesada sem a casca e cozida * 100 gramas de margarina * 200 gramas de requeijão de copo * 500 gramas de farinha de trigo * sal a gosto * 2 gemas para pincelar os pãezinhos
RECHEIO: requeijão cremoso
MODO DE FAZER: Amasse o fermento e o açúcar com uma colher até ficar bem misturado. Coloque a água morna e bata em batedeira. Acrescente os ovos, o sal, a margarina e a batata já espremida. Bata durante 5 minutos. Adicione a farinha de trigo, aos poucos, e continuar batendo. Deixe a massa descansar um pouco e bata novamente. Num suporte liso bem seco, despeje massa e sove até que esteja soltando. Faça os pãezinhos com a mão molhada e abra-os com as pontas dos dedos. Recheie com 1/2 colher de sobremesa de requeijão. Em seguida, feche como se amarrasse. Coloque em forma e pincele com as gemas batidas. Depois de crescidos, asse durante 20 minutos.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Manuel Bandeira


Arte de Amar


Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
Não noutra alma.
Só em Deus - ou fora do mundo.
As almas são incomunicáveis.
Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não.
(Manuel Bandira)

Em poucas palavras - Marcel Proust

A viagem da descoberta consiste não em achar novas paisagens, mas em ver com novos olhos. (Marcel Proust)

Santa Rita é notícia - Minas atrai mais duas empresas para se instalar no Sul do Estado

Novos investimentos de R$ 21,1 milhões, no Sul do Estado, foram anunciados ontem ao Governo de Minas. O primeiro, de R$ 7,2 milhões, é da Sutek do Brasil Indústria e Comércio de Produtos Eletroeletrônicos Ltda., que está instalando fábrica de equipamentos de informática, eletrônica e elétrica, em Santa Rita do Sapucaí. O segundo, no valor de R$ 13,9 milhões, é da CBS Hospitalar Ltda, que irá implantar, em Itapeva, um centro de distribuição de insumos médico-hospitalares, como luvas, seringas, agulhas, ataduras e curativos diversos, soros e algodão.
O anúncio da Sutek do Brasil foi feito pela CEO Lin Liu Su Hua, ao secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico em exercício, Raphael Guimarães Andrade, durante a assinatura de protocolo de intenções. Já o protocolo de intenções da CBS Hospitalar foi assinado pelo presidente da empresa Odair dos Santos.
Apenas em janeiro, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) já assinou sete protocolos com empresas dos setores de energia (oito pequenas centrais hidrelétricas - PCHs - e uma termoelétrica de biogás), duas no setor de plásticos e as duas realizadas ontem, totalizando investimentos superiores a R$ 570 milhões.

Sutek

A Sutek do Brasil deve entrar em operação já em março próximo. Serão gerados 72 empregos diretos. Segundo Lin Liu Su Hua, a empresa irá priorizar a mão de obra local. "Queremos aproveitar o potencial humano da cidade e contribuir para o desenvolvimento da mesma, treinando as pessoas para trabalharem conosco".
Raphael Andrade destacou que a assinatura do protocolo contribui para que a cidade de Santa Rita do Sapucaí se torne referência tecnológica em Minas Gerais.
De acordo com a empresa, em 2010, o faturamento deve atingir R$ 600 mil, chegando a R$ 1,6 milhão no ano que vem e R$ 3,6 milhões em 2012.
Criada a partir da Maxxtro, instalada há dez anos em São Paulo, a unidade mineira vai fabricar gabinetes para computadores, caixas de som, fontes de alimentação, fones de ouvido, teclados e mouse.

(Imprensa Oficial de Minas Gerias em 20/01/2010)

Na vitrola aqui de casa - Don't give up

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Mário Quintana


Projeto de Prefácio


Sábias agudezas... refinamentos...
- não!
Nada disso encontrarás aqui.
Um poema não é para te distraíres
como com essas imagens mutantes de caleidoscópios.
Um poema não é quando te deténs para apreciar um detalhe
Um poema não é também quando paras no fim,
porque um verdadeiro poema continua sempre...
Um poema que não te ajude a viver e não saiba preparar-te para a morte
não tem sentido: é um pobre chocalho de palavras.
(Mario Quintana)

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Em poucas palavras - João Paulo II

Com um pouco mais de palavras, mas o que vale é o recado.

Precisamos de Santos

Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se "lascam" na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam coca-cola e comam hot-dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem disc-man.
Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refri ou comer uma pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos.
(João Paulo II)

Serviço - Vinhoterapia: benefícios de juventude

Para muitos estudiosos, o vinho é uma bebida que pode ser usada para o tratamento e prevenção de doenças, quando ingerido com moderação.
As uvas vermelhas utilizadas para a produção dessa bebida possuem, além das vitaminas A, C, e várias do complexo B, uma substância chamada resveratrol. Essa substância é altamente antioxidante e antiinflamatória, sendo utilizada cada vez mais pelos laboratórios devido ao seu poder rejuvenescedor das células.
Com bases nas pesquisas realizadas, em todo o mundo, o resveratrol está se revelando por seus importantes benefícios, que retardam o envelhecimento dos tecidos, ajudam na circulação vascular, combate o colesterol ruim e estimula o bom colesterol, além de ser eficaz no combate às doenças crônicas, como o câncer, o diabetes e o temido Alzheimer.
Então, aqui fica a dica: é saudável beber um pequeno cálice de vinho tinto durante o almoço, mas, sem excessos.
(Saúde Plena - Estado de Minas em 10/01/2010)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Bão dimais - Quiche de milho verde e queijo

QUICHE DE MILHO VERDE E QUEIJO

INGREDIENTES: MASSA: 15 colheres (sopa) de farinha de trigo * 3 colheres (sopa) óleo * 3 colheres (sopa) de margarina ou manteiga * 1 colher (chá) de sal * 3 gemas
RECHEIO: 2 xícaras (chá) de queijo minas * 1 xícara (chá) de leite * 1 caixa de creme de leite * 1 colher (sopa) de manteiga * 3 ovos * 1 lata de milho *1 colher (chá) de sal
MODO DE FAZER: MASSA: Em uma vasilha misture todos os ingredientes, formando uma massa até soltar das mãos. Forre o fundo e as laterais de uma assadeira.
RECHEIO: Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque sobre a massa e leve para assar por 35 minutos.

Em poucas palavras - Freya Stark

Não pode haver felicidade quando as coisas nas quais acreditamos são diferentes das que fazemos. - Freya Stark

Serviço - Você sabe o nome de um ministro?

Se você sabe, parabéns, você não é um brasileiro comum.
A Ipsos colocou esta questão a pessoas de 70 cidades brasileiras, envolvendo nove regiões metropolitanas. Mesmo nas classes A/B, mais escolarizadas, metade (48%) não sabia --a média geral é de 34%, sendo que entre os mais pobres o percentual cai para 20%. Dados semelhantes foram encontrados quando se perguntou o nome de um deputado e um senador.
A tradução disso é óbvia --e mais uma vez mostra como estamos longe de uma democracia mais participativa. Se os indivíduos, mesmo os mais escolarizados, desconhecem o nome do ministro, certamente acompanham ainda menos sua atuação.
Se o cidadão não sabe citar o nome de um deputado ou senador, é indicativo de que esqueceu em quem votou.
O resultado é um sinal de como a política está longe dos brasileiros --e aqui está uma das raízes da incompetência e da roubalheira.
(Gilberto Dimenstein - Folha de São Paulo em 18/01/2010)

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Augusto Frederico Schmidt


Vazio

A poesia fugiu do mundo.
O amor fugiu do mundo —
Restam somente as casas,
Os bondes, os automóveis, as pessoas,
Os fios telegráficos estendidos,
No céu os anúncios luminosos.

A poesia fugiu do mundo.
O amor fugiu do mundo —
Restam somente os homens,
Pequeninos, apressados, egoístas e inúteis.
Resta a vida que é preciso viver.
Resta a volúpia que é preciso matar.
Resta a necessidade de poesia, que é preciso contentar.
(Augusto Frederico Schmidt)

Augusto Frederico Schmidt (18 de abril de 1906, Rio de Janeiro - 8 de fevereiro de 1965, Rio de Janeiro)
Além de poeta, Augusto Frederico Schmidt foi editor e político. Considerado importante lírico brasileiro, sua poesia é grandiloquente e discursiva; e frequentemente utiliza o versículo bíblico. Romântico e nostálgico, seus temas preferidos são o mar, a noite, a morte, a solidão, o mistério do destino do homem. Entre 1924 e 1926, Augusto Frederico Schmidt residiu em São Paulo, ligando-se ao grupo modernista. É quando publica seu primeiro livro, Canto do Brasileiro Augusto Frederico Schmidt. A seguir, funda uma editora e torna-se um dos grandes divulgadores do Modernismo; e, depois, da literatura do Nordeste.

Na vitrola aqui de casa - Trocando em miúdos

Fiquei muito triste quando li isso - Luta pela sobrevivência anula civilidade, dizem psicólogos

As imagens de saques em meio às ruínas de Porto Príncipe rodaram o mundo e se destacaram em meio ao choro e à desolação dos haitianos em ruas, praças e tendas improvisadas. No cenário de destruição, a insegurança em relação à própria sobrevivência passa a ditar as ações das vítimas do terremoto que devastou o Haiti na terça-feira (12).
Para os haitianos, a incerteza quanto ao futuro diz respeito não ao próximo ano ou década, mas à próxima hora. Onde não há quase nada, a civilidade desaparece. "Vemos o desespero ali. Existe uma perda de controle por parte das pessoas", diz Leila Tardivo, livre-docente do Instituto de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo). "Muito da própria civilidade se perde. Há um desespero mais que animalesco na briga por comida."
Para a psicóloga, o mundo está diante de um vórtice de estresse incomensurável. "É quase uma horda primitiva, e digo sem qualquer preconceito. É a perda da civilidade, da evolução como homem, provocada por uma situação extremada que não podemos julgar --não nos é dado esse direito. Qualquer um de nós poderia fazer aquilo."
Diferentemente do que as imagens divulgadas na TV e na internet podem sugerir, o ato de saquear comida pode ser a face de um contexto emocional que não tem relação com o egoísmo, ressalta Eliana Torga, coordenadora da comissão de emergências e desastres do Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais. "As pessoas que saquearam podem ter tido um ato altruísta, no sentido de dar aquele alimento para o filho ou para a mãe. É uma situação muito além dos limites dele", considera. "Aquela realidade mexe tão profundamente com questões básicas do ser humano que eles perdem os controles sociais que todos temos, de moralidade."
Angela Coelho, colaboradora do Conselho Federal de Psicologia, esteve no Peru em 2007 para prestar auxílio às vítimas do terremoto em Pisco. Para ela, sentimentos e ações de toda espécie são esperadas após um desastre. "Não ter nenhuma reação seria estranho", diz a psicóloga, que estuda o tema há quase 20 anos.
Hoje, o Haiti é um terreno mais que favorável ao estresse pós-traumático, numa equação cujos fatores são muito mais antigos que os tremores de magnitude 7,0. "O desenvolvimento do quadro de estresse está ligado a comprometimentos anteriores ao evento. As pessoas já eram vítimas de problemas antes do desastre", diz Ângela. Se antes do terremoto os sentimentos de insegurança e desordem estavam sempre presentes, agora eles são gritantes.
(Mary Persia - Folha de São Paulo em 16/01/2010)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Em poucas palavras - Madre Teresa de Calcutá

É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado. (Madre Teresa de Calcutá)

TV saudade - Jeannie é um gênio


O Capitão Anthony Nelson, piloto da Força Aérea Americana e depois astronauta da NASA, cai acidentalmente numa ilha, onde encontra uma misteriosa garrafa. Ao abri-la, descobre que a mesma era a morada de uma moça chamada Jeannie, que é um gênio das histórias das Mil e Uma Noites, com incríveis poderes e que o chama de "amo". O piloto a liberta, mas a moça se apaixona por ele e o acompanha até sua casa nos Estados Unidos, onde passa a tumultuar a vida do pobre homem e do Dr. Bellows, médico e psiquiatra que acompanha Nelson e tenta descobrir a causa das coisas estranhas que passam a acontecer quando ele está por perto, mas sempre é convencido de que o louco é ele e não o piloto.
O melhor amigo de Nelson, o atrapalhado Roger Healey, acaba por descobrir o segredo da garrafa ao tentar namorar Jeannie quando a conhece na forma de uma moça comum. Embora tente sempre aproveitar os poderes do gênio e até conquistar suas atenções amorosas, Healey se mantém fiel a Nelson durante a série e guarda o segredo do amigo, e até tenta ajudá-lo a sair das enrascadas em que Jeannie o envolve, o que quase nunca consegue.
Quando Nelson não se vê envolvido nas confusões de Jeannie, sofre com todo o tipo de invasão de parentes, amigos e até animais de estimação de Jeannie (um cão invisível que odeia uniformes), todos com poderes mágicos.

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Lya Luft


Auto-Retrato


Alguém diz que sou bondosa:está tão enganado que dá pena.
Alguém diz que sou severa,e acho graça.
Não sou áspera nem amena:estou na vida como o jardineiro
se entrega em cada rosa:corte, sangue, dor e aroma
para que a beleza fique na memória
quando a flor passa.

(Amar é lidar com os espinhos de quem ama por inteiro: com força, não com fraqueza.)
(Lya Luft)

Na vitrola aqui de casa - Rosa de Hiroshima

Serviço - Veja como doar recursos para ajudar haitianos atingidos por terremoto

Órgãos governamentais e ONGs dispobilizaram na tarde de hoje contas bancárias para receber doações que serão usadas para ajudar haitianos atingidos pelo terremoto que sacudiu o país caribenho na tarde de ontem.
O Banco do Brasil abriu na tarde de hoje uma conta para as doações. Os recursos serão administrados diretamente pela Embaixada do Haiti no país. A conta corrente está em nome de "SOS Haiti" --agência 1606-3, conta corrente 91.000-7. Segundo o BB, os depósitos podem ser feitos tanto no Brasil como no exterior.

A ONG "Viva Rio", que atua com projetos sociais no país desde 2004, também abriu uma conta para doações. O movimento montou um esquema especial para ajudar os desabrigados. Um grupo de nove brasileiros que estão na sede da ONG em Porto Príncipe local providenciam água, comida, remédios e material de limpeza, com a ajuda de aproximadamente 400 haitianos que também integram o grupo. A sede ainda está servindo como abrigo para desabrigados da região.

A conta também foi aberta no Banco do Brasil e está em nome da ONG --agência 1769-8, conta corrente 5113-6. Segundo o movimento, os recursos serão usados para "compra de gêneros alimentícios, água e medicamentos".

Em poucas palavras - Valeu, Dona Zilda!

"Roubei"do Ricardo Noblat.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Na vitrola aqui de casa - Dentro de mim mora um anjo

Que pena que não existe mais - Zilda Arns

Zilda Arns, a defensora das crianças e dos idosos

A médica pediatra e sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, morreu no forte terremoto que abalou o Haiti nesta terça-feira. Ela tinha 75 anos e também era coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa.
Zilda Arns nasceu em Forquilhinha (SC) em 25 de agosto de 1934 e morava em Curitiba. Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, cardeal arcebispo emérito de São Paulo, ela foi proposta pelo governo para o Prêmio Nobel da Paz por três anos seguidos.
Formada em Medicina, aprofundou-se em Saúde Pública visando salvar crianças pobres da mortalidade infantil, da desnutrição e da violência em seu contexto familiar e comunitário. Zilda Arns desenvolveu uma metodologia própria de multiplicação do conhecimento e da solidariedade entre as famílias mais pobres, baseando-se no milagre bíblico da multiplicação dos dois peixes e cinco pães que saciaram cinco mil pessoas, como narra o Evangelho de São João.
Em 2003, Zilda Arns recebeu o prêmio 'Faz Diferença', do jornal O GLOBO, de 'Personalidade do Ano', por seu trabalho à frente da Pastoral da Criança. Presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países, a Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios. Acompanha quase 95 mil gestantes e mais de 1, 6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.
A entidade teve início em uma reunião da ONU sobre a paz mundial, em 1982. Na reunião, o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, foi convencido pelo então diretor-executivo do Unicef, James Grant, de que milhares de crianças poderiam ser salvas se as mães pobres aprendessem a fazer o soro caseiro.
De volta ao Brasil, dom Paulo perguntou a irmã se ela aceitaria fazer um projeto neste sentido. Viúva e mãe de cinco filhos, Zilda respondeu que também pensaria em outras ações para prevenir a diarréia.
- Hoje entendo que, desde a infância, Deus me preparou para essa missão: tive a medicina e a vocação para a pedagogia, além da formação voltada para a comunidade - disse ela à época.
Zilda conseguiu traduzir suas idéias em cartilhas e apresentou o projeto. Foi escolhida para piloto a cidade do Paraná em que a mortalidade infantil era mais alta, com uma taxa de 127 mortes por mil crianças nascidas vivas: Florestópolis.
Em 2004, Zilda Arns recebeu da CNBB outra missão, fundar, organizar e coordenar a Pastoral da Pessoa Idosa. Atualmente mais de 129 mil idosos são acompanhados todos os meses por 14 mil voluntários.
Em sua mesa de trabalho sempre havia muitas fotos de família e um texto, em alemão, do escritor católico Adolph Kolping: "Deus dá a felicidade, mas o homem tem que percebê-la".
Entre os prêmios internacionais recebidos por Zilda Arns, merecem destaque: o Prêmio "Heroína da Saúde Pública das Américas", concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em 2002; o Prêmio Social 2005 da Câmara de Comércio Brasil-Espanha; a Medalha "Simón Bolívar", da Câmara Internacional de Pesquisa e Integração Social, em 2000; o Prêmio Humanitário 1997 do Lions Club Internacional; e, o Prêmio Internacional da OPAS em Administração Sanitária, 1994.
(O Globo em 13/01/2010)

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Serviço - Boa notícia para as mulheres brasileiras

Quadril e bumbum grandes protegem as mulheres contra o infarto

LONDRES - Ter quadril e nádegas grandes é bom para a saúde, segundo estudo realizado na Universidade de Oxford, publicado na "Revista Internacional de Obesidade". O principal autor, Konstantinos Manolopoulos, afirma que essa característica protege contra doenças cardiovasculares. Uma explicação é que esse tipo de gordura localizada elimina ácidos graxos prejudiciais e contém um agente anti-inflamatório que evita o entupimento das artérias.
De acordo com os pesquisadores, ter nádegas grandes é preferível à gordura extra em torno da cintura, que não oferece a tal proteção. A partir desses dados, eles acreditam que médicos poderiam desenvolver formas de redistribuir a gordura corporal para os quadris, e assim ter maiores chances de evitar doenças cardiovasculares e metabólicas, como diabetes.
Para os autores, ter pouca gordura ao redor do quadril é um perigo para a saúde, como ocorre na síndrome de Cushing (que se caracteriza pelo alto nível de cortisol no sangue). Os dados da pesquisa indicam que a gordura ao redor das nádegas e do quadril é mais difícil de se eliminar do que na cintura.
Quando a gordura é quebrada ou se desintegra rapidamente, ela libera mais citocinas, substâncias que causam inflamação no corpo, explicam os especialistas. Estas citocinas têm sido relacionadas a doenças cardiovasculares, à resistência à insulina e ao diabetes.
Portanto, a gordura que dá uma forma de maçã é pior que o corpo em forma de pêra.
Os dados da pesquisa indicam que a gordura ao redor das costas é mais difícil de se mudar do que a gordura ao redor da cintura.
Embora isso possa parecer indesejável, é realmente benéfico. Quando a gordura é quebrada rapidamente, ela libera mais citocinas, substâncias que causam inflamação no corpo, explicam os especialistas. Estas citocinas têm sido relacionadas a doenças cardiovasculares, à resistência à insulina e ao diabetes.
- Gordura ao redor dos quadris é bom para você, mas ao redor da barriga é ruim - diz Manolopoulos. - É a forma que importa e onde a gordura se reúne.
A queima de gordura mais lenta do quadril produz mais o hormônio adiponectina, que protege as artérias e promove um melhor controle do açúcar no sangue. Segundo Manolopoulos, ter mais gordura ao redor das coxas, do quadril, é melhor, se o seu abdômen for magro.
- Infelizmente, isso é difícil.
Já Fotini Rozakeas, da Fundação Britânica do Coração, afirmou que a pesquisa ajuda a compreender melhor como a gordura age no corpo, a fim de desenvolver novas abordagens na prevenção de doenças cardíacas e circulatórias.
- Se você estiver com sobrepeso, obeso, ou se você tiver um tamanho da cintura que é maior, é importante fazer mudanças em seu estilo de vida.
(O Globo em 12/02/2010)

Serviço - Planos de saúde vão incluir 70 novos procedimentos em junho; veja os novos serviços

Os planos de saúde deverão incluir cerca de 70 novos procedimentos médicos e odontológicos a partir de 7 de junho de 2010, segundo determinação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicada nesta terça-feira no "Diário Oficial da União". Entre os procedimentos inclusos está o transplante de medula óssea.
A nova norma atualiza os procedimentos inclusos na cobertura mínima obrigatória oferecida pelas operadoras de planos de saúde a todos aqueles que possuem contratos celebrados a partir de 2 de janeiro de 1999 --data em que entrou em vigor a lei de regulamentação do setor de saúde suplementar.

Além do transplante de medula óssea, também passam a estar inclusos nos planos básicos o exame Pet-Scan --usado para diagnosticar câncer--, implante de marca passo multissítio, oxigenoterapia hiperbárica e mais de 20 tipos de cirurgias torácicas por vídeo.

Ao todo, cerca de 44 milhões de pessoas, que adquiriram planos de saúde a partir de janeiro de 1999, serão beneficiados pelas mudanças da cobertura dos planos. Segundo a ANS, em todo o país, existem mais de 54 milhões de pessoas com planos de saúde, sendo cerca de 1.500 operadoras de planos em atividade.

Além da inclusão de cerca de 70 procedimentos médicos nos planos, também passam a valer em junho outras normas como a cobertura pelos planos coletivos aos acidentes de trabalho e aos procedimentos de saúde ocupacional.

Outra mudança é o fim da limitação de 180 dias de atendimento em hospital-dia para pacientes com necessidade de acompanhamento da saúde mental. De acordo com a ANS, a medida visa substituir as internações psiquiátricas.

Veja lista completa de inclusões médico-hospitalares

Veja lista completa de inclusões odontológicas
(Folha online em 12/01/2010)

Ninguém vive sem um pouco de poesia...

Mírian dos Santos, uma antiga mestra de literatura na Univás, foi quem me ensinou a ler além das palavras que estão escritas nos livros.
Sei que existem pessoas que detestam poesias, assim como há aqueles que odeiam azul. Quando posto um poema, quase que diariamente, estou na verdade querendo que as pessoas descubram que ninguém consegue viver sem um pouco de encanto, leveza e suavidade diante da vida.
Já dizia Guimarães Rosa que “Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida.”
Quando nos tornamos adultos perdemos a pureza do olhar infantil, a delicadeza de ser simples e de ver as coisas com essa mesma simplicidade. Na verdade, aprendemos a dificultar tudo, a sofrer com tudo e a lamentar sobre tudo. Não nos tornamos seres complexos, mas seres complexados e complicados.
Quando estou triste e leio uma Cecília Meireles ou me deparo com a simplicidade cotidiana de uma Adélia Prado, sempre penso: Como eu gostaria de ter me expressado assim. Por que não escrevi isso?
Porque ainda estou tentando aprender a ver além das palavras.
Se você deixar sua alma voar solta diante de um belo poema, provavelmente sua vida será mais simples e você estará aprendendo a viver, o que é muito mais difícil, porque mais perigoso, do que viver realmente.
Obrigada, Mírian, por sua tentativa de iluminar meu olhar. Quem sabe um dia eu consiga ver mais claramente o que hoje vejo apenas em parte.

Em poucas palavras - Benjamim Franklin

Aos 20 anos, a vontade é soberana; aos 30, o espírito; aos 40, a razão. (Benjamim Franklin)

Você sabia? 'Google' é escolhida palavra da década

Se você ainda tinha dúvidas de que as redes sociais estão invadindo nossas vidas, é hora de rever sua posição.
A American Dialect Society, uma associação que estuda a língua inglesa, anunciou na semana passada que "tweet" é a palavra do ano de 2009, e que "Google" - o verbo, não o substantivo - é a palavra da década.
"Ambas as palavras são, no fim, produtos da Era da Informação, onde cada pessoa tem a capacidade de satisfazer sua curiosidade e de se comunicar com uma audiência selecionada, tudo via internet", disse o presidente do Comitê de Novas Palavras da entidade, Grant Barrett, em comunicado.
"Eu realmente penso que ‘blog' mereceria um lugar de honra na década, mas mais pessoas googlam do que blogam, não é? E mais: muitas pessoas acham que o som da palavra ‘blog' é feio. Talvez os advogados do Google a preferissem, quem sabe", brinca Barrett.
O microblog Twitter está definitivamente conseguindo bastante atenção entre os estudiosos das palavras.

Em novembro de 2009, o Global Language Monitor anunciou ter selecionado "Twitter" como a palavra de 2009 com base em sua pesquisa global de palavras e frases em inglês que aparecem na mídia, incluindo a online.

Já o Dicionário Americano New Oxford anunciou, também em novembro, que "unfriend" - uma palavra que significa remover alguém de uma lista de amigos em uma rede social, como o Facebook - foi a Palavra do Ano de 2009.
(IDG Now em 11/01/2010)

Saúde - Planta usada para chá pode virar 1º quimioterápico brasileiro


Uma planta usada tradicionalmente em chás medicinais e nas populares "garrafadas" (bebida que reúne várias ervas) está sendo testada no tratamento do câncer. Estudos iniciais desenvolvidos no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo, mostram que ela conseguiu estabilizar o quadro clínico de uma doente terminal e que também foi eficaz no alívio das dores. Encontrada no Norte e no Nordeste do país, a avelós (Euphorbia tirucalli) produz uma seiva semelhante ao látex, que é muita tóxica e cáustica. Se cai nos olhos, pode cegar.
O primeiro passo dos pesquisadores foi então isolar apenas as substâncias benéficas da planta e transformá-las em uma pílula, chamada de AM10.
Se a eficácia da droga for comprovada nos próximos estudos, ela poderá se transformar no primeiro medicamento oncológico nacional.
Tudo começou há seis anos, quando o empresário nordestino Everaldo Telles viu um parente melhorar após usar a planta para tratar um câncer. Ele decidiu investir em pesquisas e, com o farmacêutico Luiz Pianowski, iniciou a fase pré-clínica (testes em células de cultura e animais).
"Nos testes in vitro e com animais a droga funcionou bem contra as células de tumores", afirma Pianowski. Nessa fase, os estudos foram feitos na Universidade Federal do Ceará e na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).
O Einstein entrou na história há um ano, na fase 1 da pesquisa clínica. A droga foi testada em sete pacientes oncológicos terminais, que já haviam recebido todo tipo de tratamento disponível sem obter resposta.
O intuito do estudo foi descobrir a dose máxima da substância tolerada pelo organismo, não de medir sua eficácia.
Ainda assim, uma paciente do grupo de estudo, com câncer metastático, teve a doença estabilizada. "Não sabemos se isso ocorreu por causa da droga ou porque a doença é de progressão lenta", diz o médico Auro Del Giglio, gerente da oncologia no Einstein e um dos coordenadores da pesquisa.
Os outros pacientes tratados com avelós relataram melhora da dor. "Talvez a droga seja um bom analgésico, e não um anticancerígeno. Pesquisas desse tipo geram muita expectativa."
Del Giglio diz que as pessoas não devem usar a planta inadvertidamente. "O látex é extremamente tóxico."
A fase 2 da pesquisa avaliará 40 pacientes oncológicos de outras cinco instituições, entre elas o Instituto Arnaldo Vieira de Carvalho e a Faculdade de Medicina do ABC. Será testada a atividade do princípio ativo nas células tumorais.
A avelós causa um processo chamado de apoptose celular, uma espécie de suicídio das células. Purificada, ela age inibindo enzimas relacionadas à multiplicação dos tumores.
Segundo Pianowski, há diversos relatos de pessoas com câncer, que estavam desenganadas pelos médicos e que se curaram após usarem a planta.
"Não esperamos que ela cure todos os tipos de câncer. Mas certamente será eficaz para diversos deles. Várias drogas oncológicas começaram assim."
(Cláudia Collucci - Folha de São Paulo em 25/12/2009)

Na vitrola aqui de casa - Iolanda

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Mario Benedetti


Em pé

Continuo em pé
por pulsar
por costume
por não abrir a janela decisiva
e olhar de uma vez a insolente
morte
essa mansa
dona da espera
continuo em pé
por preguiça nas despedidas
no fechamento e demolição
da memória

não é um mérito
outros desafiam
a claridade
o caos
ou a tortura

continuar em pé
quer dizer coragem

ou não ter
onde cair
morto.
(Mario Benedetti)

Estou dando um passeio

Estou dando um passeio por uma terra irmã. Um lugar de que gosto muito e onde passo dias muito agradáveis.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Na vitrola aqui de casa - Movimento dos barcos

Bão dimais - Amor em pedaços

AMOR EM PEDAÇOS

INGREDIENTES: MASSA: 4 ovos * 2 xícaras (chá) de açúcar * 2 xícaras de (chá) de farinha de trigo * 2 colheres (sopa) de manteiga * 1 vidro pequeno de leite de coco * 1 colher (sopa) de fermento em pó
COBERTURA: 1 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar * 1 colher (sopa) de manteiga * 3 colheres (sopa) de leite
MODO DE FAZER: MASSA: Bata as gemas, o açúcar e a manteiga. Junte a farinha e o leite de coco e bata bem. Adicione o fermento e as claras em neve, misturando delicadamente. Despeje em um tabuleiro untado e polvilhado com farinha de trigo. Leve ao forno quente para assar.
COBERTURA: Misture os ingredientes e cubra o bolo, sem desenformá-lo. Corte em quadradinhos.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Em poucas palavras - Martin Luther King

Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira.O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos.Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos. (Martin Luther King)

Pesquisa - Qual o MELHOR verso da música brasileira?

Qual o MELHOR verso da música brasileira? Deixo abaixo alguns dos meus preferidos. Deixa o teu também.

"Existirmos: a que será que se destina?" (Cajuína - Caetano Veloso)

“Oh, pedaço de mim/ Oh, metade arrancada de mim/ Leva o vulto teu/ Que a saudade é o revés de um parto/ A saudade é arrumar o quarto/ Do filho que já morreu”, (Pedaço de Mim - Chico Buarque)

“Tire o seu sorriso do caminho/ Que eu quero passar com a minha dor”, (A Flor e o Espinho - Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito)
Eu só errei quando juntei minh'alma a sua/O sol não pode viver perto da lua. (A Flor e o Espinho - Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito)

“Eu bato o portão sem fazer alarde/ Eu levo a carteira de identidade/ Uma saideira, muita saudade/ E a leve impressão de que já vou tarde.” (Trocando em Miúdos - Chico Buarque)

“É que Narciso acha feio o que não é espelho/ e a mente apavora o que ainda não é mesmo velho” (Sampa - Caetano Veloso)

“Eu sei que esses detalhes/ vão sumir na longa estrada/ do tempo que transforma todo amor em quase nada/ Mas quase também é mais um detalhe” (Detalhes -Roberto e Erasmo Carlos)

“Como? Se na desordem do armário embutido/Meu paletó enlaça o teu vestido/E o meu sapato inda pisa no teu. (Eu te amo - Chico Buarque)

“As coisas passando/eu quero é passar com elas/eu quero./E não deixar nada mais do que as cinzas de um cigarro/e a marca de um abraço no seu corpo. (Movimento dos barcos” - Jards Macalé – Capinam)

“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo/Com sabor de fruta mordida” (Todo amor que houver nessa vida – Frejat e Cazuza)
“E se eu achar a tua fonte escondida/Te alcanço em cheio, o mel e a ferida. (Todo amor que houver nessa vida – Frejat e Cazuza)

“Saboroso é o amor, fruta boa/Coração é o quintal da pessoa/É gostoso o nosso amor/Renovado é o nosso amor/Saboroso é o amor madurado de carinho.” (Fruta boa - Milton Nascimento e Fernando Brant)

“Nossas roupas comuns dependuradas/nas cordas qual bandeiras agitadas/pareciam um estranho festival/festa dos nossos trapos coloridos/a mostrar que nos morros mal vestidos/é sempre feriado nacional. (Chão de estrelas - Sílvio Caldas e Orestes Barbosa)

“Mesmo quando tudo pede/Um pouco mais de calma/Até quando o corpo pede/Um pouco mais de alma/Eu sei, a vida não pára/A vida não pára não... (Paciência - Lenine e Dudu Falcão)

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Carlos Drummond de Andrade


CONSOLO NA PRAIA

Vamos, não chores...
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.
O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.
Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis casa, navio, terra.
Mas tens um cão.
Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o 'humour'?
A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia,no vento...
Dorme, meu filho.
(Carlos Drummond de Andrade)

Na vitrola aqui de casa - Aquarela do Brasil

Bão dimais - Pizza enrolada

PIZZA ENROLADA

INGREDIENTES: MASSA: 1/2 quilo de farinha de trigo * 1/2 xícara (chá) de óleo * 1 copo de leite * 1 colher (sopa) de fermento para pão * 1 pitada de sal * gema para pincelar
RECHEIO: 250 gramas de presunto * 250 gramas de mussarela
MOLHO: tomate * pimentão * cebola * cheiro verde * azeite * orégano * sal
MODO DE FAZER: Dissolva o fermento no leite morno. Junte o óleo e o sal. Adicione, aos poucos, a farinha. Amasse e deixe crescer por 2 horas. Abra a massa e recheie com a mussarela, presunto e camadas de molho cru e temperado com azeite, sal, orégano. Enrole, ponha à crescer, pincele com gema e orégano. Asse. Dá 2 pizzas.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Hilda Hilst


Sonetos que não são

Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha

Objeto de amor, atenta e bela.
Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha.)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra.

(Hilda Hilst)

TV saudade - A gata e o rato


Em 3 de março de 1985 o canal ABC estreava Moonlighting, que no Brasil recebeu o nome de A Gata e o Rato, uma comédia investigativa que fez sucesso por pouco mais de quatro anos, sendo cancelada em 14 de maio de 1989. Teve um total de 67 episódios e protagonizado por ninguém menos que, Bruce Willis e Cybill Shepherd, que encarnaram a pela da dupla de detetives particulares. Uma séria criada por Glenn Gordon Caron, que também produziu a série por vários anos.
O seriado trazia um misto de comédia, drama, suspense e romance, e acabou se tornando, até hoje, um dos maiores clássicos das séries sobre detetives. O tema de abertura marcante foi interpretado pelo cantor de jazz Al Jarreau.
A trama girava em torno de casos investigados pela Blue Moon Detective Agency e os seus dois parceiros, Madeline "Maddie" Hayes (Cybill Shepherd) e David Addison (Bruce Willis). Maddie era uma supermodel, até que levou um grande golpe de seu empresário e acabou perdendo toda sua fortuna. Perdida, cheia de dívidas e sem saber o que fazer acaba investindo o pouco que lhe restou em uma agência particular de detetives. A agência fazia parte de seu legado, e chama-se City Angels, ela resolve ir de cabeça no empreendimento e a rebatiza como Blue Moon.
Blue Moon era gerenciada pelo cínico, porém charmoso, detetive David Addison, que convence a ex-modelo que investir tudo o que lhe resta no negócio é sua única saída para a falência total. Mas nem tudo são flores. O ar de paixão entre os dois sempre fica no ar, e acaba levando a dupla a inúmeras confusões, recheadas de brigas, discussões e muitas gargalhadas. Este era um grande diferencial da série em relação a todas as outras do mesmo formato na década de 80.

Em poucas palavras - Mahatma Gandhi

Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo. (Mahatma Gandhi)

Na vitrola aqui de casa - Everybody's talkin'

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...