sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Manoel de Barros

Poema
A poesia está guardada nas palavras – é tudo o que sei.
Meu fado é o de não saber quase tudo,
sobre o nada tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade
poderoso para mim não é aquele que descobre o ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as
insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado e chorei.
Sou fraco para elogios.
(Manoel de Barros)

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Na vitrola aqui de casa - A violeira

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Dicas - Encontro com Alice Ruiz

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior

Dica de diversão - A Falecida

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Elisa Lucinda

Memória de um Silêncio Eloquente

Para ti
sempre tive um infinito
estoque de perdão.
Só para ti
perdoei mais que suportava,
mais do que pude.
Minha cerca-limite era sem estatuto, 
não tinha um não delimitando nada.
Fui perdoando assim de manada
e muitos erros desfilaram me ferindo,
nos interferindo silenciosos,
sem ninguém denunciar.

Perdoa a dor que te causei,
é que você estava há tempos me machucando
e eu não gritei.


(Elisa Lucinda)

Na vitrola aqui de casa - Sodade

Persona - Cesária Évora

Cesária Évora (Mindelo - Cabo Verde, 27 de Agosto de 1941 — Mindelo, 17 de Dezembro de 2011)

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Na vitrola aqui de casa - La vie en rose

O mineiro já está quase desvendando a origem de sua terra!!!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Cecília Meireles

Naufrágio
Pus o meu sonho num navio

e o navio em cima do mar;

- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.
(Cecília Meireles)

Agora ouçam Amália Rodrigues cantando este poema, sem a última estrofe, em forma de fado.


Bão dimais - Pão de queijo de 3 ingredientes

Pão de queijo de 3 Ingredientes

Ingredientes: 1 caixinha de creme de leite (200 ml) * 1 copo (requeijão) de queijo ralado (misturei parmesão e muçarela ralada) * 1 copo (requeijão) de polvilho doce ou azedo
Modo de fazer: Amasse até soltar das mãos. Caso precise um pouquinho a mais de polvilho, coloque aos poucos até que chegue ao ponto de enrolar. Faça bolinhas, coloque em forma untada e asse em forno pré-aquecido bem quente. Se achar necessário, acrescente sal. Asse até que fiquem levemente dourados. 
Rendimento: 25 porções.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

De onde vem? - Onde Judas perdeu as botas

Onde Judas perdeu as botas
Quando alguém mora muito longe é comum ouvirmos: Ele mora "onde Judas perdeu as botas”.
A expressão "onde Judas perdeu as botas" é usada para designar um lugar distante, desconhecido e inacessível. Tão longe que sua localização não pode ser detalhada. É por lá onde Judas perdeu as botas.
A Bíblia não faz nenhuma refe­rência às botas de Judas, o apósto­lo que, de acordo com os relatos do Novo Testamento, entregou Jesus Cris­to aos guardas romanos em troca de moedas de prata. No capítulo 27 do evangelho de Mateus, se lê "Ele jogou então no templo as moedas de prata, saiu, e foi enforcar-se", sem qualquer menção às botas do apóstolo.
Mas existe uma lenda popular que relata que após trair Jesus, Judas enforcou-se em uma árvore sem nada nos pés, já que havia posto o dinheiro que ganhara por entregar Jesus dentro de suas botas. Quando os soldados viram que Judas estava sem seus sapatos, saíram em busca dos mesmos e do dinheiro da traição. Nunca ninguém ficou sabendo se tais botas foram achadas.
A expressão “onde o Judas perdeu as botas” em espanhol é “donde el diablo perdió el poncho“. E diabo veste poncho? Sei lá. Só sei que se Judas pode usar botas, o diabo pode usar poncho.
Existe um lugar ainda mais distante de "onde Judas perdeu as botas". É "onde Judas perdeu as meias".

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Santa Rita é notícia - Parceria Ericsson - ETE


Ericsson fecha parceria com escola de Santa Rita do SapucaíEmpresa instala centro de desenvolvimento profissional em parceria com escola técnica de Santa Rita do Sapucaí


Academia e mercado se unem para solucionar a escassez de mão de obra no setor de telecomunicações. Aproveitando o foco de Santa Rita do Sapucaí (cidade do Sul de Minas) na criação de empresas de tecnologia, a Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa (ETEFMC), instituição com mais de 50 anos de experiência na formação de técnicos da área, firma hoje parceria com a empresa de telefonia móvel Ericsson para criação de um núcleo voltado para a capacitação prática de técnicos do setor.
O Núcleo de Desenvolvimento de Competência Ericsson será integrado à escola e aumentará os ensinamentos práticos para os alunos. Para isso, foi criada estrutura similar à encontrada no mercado de trabalho, com a construção de uma estação rádio-base e o equipamento de transmissão. Uma torre de telefonia com 25 metros de altura e um poste octadecagonal de 15 metros de altura foram instalados no câmpus, o primeiro adaptado ao sistema GSM e o segundo no formato 3G. Além disso será dado curso de instalação de telefonia móvel.
“A parte teórica qualquer escola consegue oferecer, mas na prática acredito que seremos os únicos no país a garantir tamanho detalhamento. Criou-se uma estrutura que não tem semelhante no país”, afirma o coordenador-geral do Centro de Desenvolvimento de Negócios da ETE FMC, Wanderson Eleutério Saldanha, ressaltando que o pioneirismo da escola se repete mais de cinco décadas depois da sua criação, quando foi a primeira instituição de ensino da América Latina a oferecer curso voltado para o segmento de eletrônica.
Ele afirma que trata-se de um mercado carente e que duas vezes por ano grandes grupos de engenharia vão à cidade requisitar técnicos e acabam por contratar a maioria dos profissionais disponíveis. A Ericsson mesma é uma das principais captadoras de mão de obra. Da escola já saíram dezenas de pessoas que ocupam cargos na empresa, desde técnicos em eletrônica até executivos de alto escalão. Com a novidade, a tendência é que a demanda cresça ainda mais nos próximos anos.

Investimentos


De olho na implantação da tecnologia 4G no país, o vice-presidente da Ericsson para a América Latina, Eduardo Ricotta, acredita que as primeiras turmas deverão ser beneficiadas e vislumbra que até todos os alunos podem ser contratados pela empresa, dependendo do aquecimento do setor. Ele observa que a companhia antecipa a formação de profissionais e faz com que o aluno se familiarize com a empresa. “O técnico completa o curso preparado para fazer a instalação em campo”, afirma ele, ressaltando que antes eram necessários dois meses para formação do aluno.
Outro problema que pode ser sanado com a implantação do núcleo é a redução da rotatividade. O que Ricotta percebe é que muitos funcionários ficam pouco tempo na mesma empresa e aproveitam os cursos de qualificação oferecidos para conseguir vagas melhores. “A retenção hoje é muito pequena. Caberá à Ericsson identificar quem são os melhores e os capazes para desenvolvê-los na empresa”, afirma o vice-presidente da companhia sueca.
(Fonte: Estado Minas em 17/08/2012)

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Marina Colasanti

Tive um rosto
Tive um rosto
e o perdi
penso diante do espelho
que não me entrega aquela
que eu esperava
mas outra
bem mais velha.
Mais uma vez me engano.
Certo seria dizer:
pensei ter tido um rosto
e o que perdi foi
a ilusão de um rosto.
Caminhei até um rosto
longamente,
um rosto que alcançado
seria o meu.
E quando enfim cheguei
àquele rosto
ele não era aquele
era um rosto
muitos rostos adiante.
Cheguei sempre atrasada
nesse encontro
porque quis alcançar meu rosto
como a um porto
e não soube entender
que rosto
é só percurso.
(Marina Colasanti)

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Santa Rita é notícia - Escola Estadual Dr. Luiz Pinto de Almeida


Escola do Sul de MG tem a maior nota do Ideb para alunos da 4ª série

Duas escolas do Sul de Minas ficaram entre as melhores do país no Ideb 2011, segundo dados divulgados nesta terça-feira (14) pelo Ministério da Educação. A Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti, de Itaú de Minas (MG,) aparece como a primeira colocada do ranking nacional, com nota 8,6. Já a Escola Municipal Professor Joaquim Borges de Freitas, de Claraval (MG), ficou no quarto lugar nacional no ranking que avaliou os alunos até a 4ª série (5º ano) do ensino fundamental.
Na avaliação dos alunos dos anos finais do ensino fundamental, o Colégio Tiradentes, de Passos (MG) e a Escola Estadual Dr. Luiz Pinto de Almeida, de Santa Rita do Sapucaí (MG), ficaram entre as 25 melhores no Brasil.
No ranking até a 4ª série, as cinco melhores escolas do Sul de Minas tiveram nota média de 7,9, bem acima das médias da região Sudeste e de Minas Gerais, de 5,6 e 5,9 respectivamente. O bom desempenho também se observa entre as cinco melhores escolas da região para alunos até os anos finais do ensino fundamental. A nota média nessa categoria foi de 6,3, enquanto a média do Sudeste e de Minas Gerais ficou em 4,5 e 4,6.
Em contato por telefone com a equipe do G1 Sul de Minas, a coordenadora pedagógica Mariângela Bregalba comemorou o resultado." Toda a notícia que mostra ganhos na educação é recebida com muita alegria. Isso mostra que Minas Gerais vem se desenvolvendo na educação. Toda a região anseia em formar futuros profissionais com qualidade”.
Confira abaixo os melhores colocados do Sul de Minas no Ideb 2011:

Até 4ª Série (5º ano) - Anos iniciais

- Escola Municipal Carmélia Dramis Malaguti (Itaú de Minas) - Nota 8,6 (1º lugar nacional)
- Escola Municipal Prof. Joaquim Borges de Freitas (Claraval) - Nota 8,3 (4º lugar nacional)
- Escola Municipal Mauro Franco (Caldas) - Nota 7,7 (53º lugar nacional)
- Escola Estadual Dom Otávio Chagas de Miranda (Borda da Mata) - Nota 7,6 (71º lugar nacional)
- Escola Municipal Itaú de Minas - Nota 7,6 (75º lugar nacional)


Até 8ª Série (9º ano) - Anos finais

- Colégio Tiradentes (Passos) - Nota 6,7 (19º lugar nacional)
- Escola Estadual Dr. Luiz Pinto de Almeida (Santa Rita do Sapucaí) - Nota 6,6 (24º lugar nacional)
- Escola Municipal Maria Caproni de Olievira (Carvalhópolis) - Nota 6,4 (39º lugar nacional)
- Escola Municipal Ambrosina Maria de Jesus (Tocos do Moji) - Nota 6,1 (103º lugar nacional)
- Colégio Municipal Arceburguense (Arceburgo) - Nota 6,0 (131º lugar nacional)


Entenda o Ideb

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado pelo MEC para medir a qualidade no ciclo básico de ensino. Ele é feito a cada dois anos e já tem quatro edições (2005, 2007, 2009 e 2011). Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho na Prova Brasil aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.
O Ideb possibilita analisar a qualidade da educação em uma determinada escola e nas diversas redes de ensino; no fundamental, é possível avaliar o desempenho dos municípios nas redes públicas e, no nível médio, o Ideb é divulgado por UF. Há também o Ideb Brasil, dividido entre as redes municipal, estadual e privada.
Como a Prova Brasil pretende analisar a qualidade da turma com a maior abrangência, os alunos fazem provas diferentes que só podem ser avaliadas em conjunto. Assim, não há nota individual.
(Fonte: G1 Sul de minas em 14/08/2012)

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Santa Rita é notícia - Neto do criador do dirigível Zeppelin vive em Santa Rita do Sapucaí, MG

Neto do criador do dirigível Zeppelin vive em Santa Rita do Sapucaí, MG



Uma descoberta que deu ao homem a oportunidade de conquistar o céu e que contribuiu com o desenvolvimento da aviação mundial: o Zeppelin, um dirigível inventado por um alemão que fez seu primeiro vôo no ano de 1900.
O que isso tem a ver com o Sul de Minas? A descoberta que o neto do inventor do Zeppelin vive em Santa Rita do Sapucaí (MG). Ferdinand Von Zeppelin Obermüller é holandês e tem muita história para contar sobre a invenção do avô, que também chegou a ser usada como máquina de guerra.
O alemão, de nome imponente, Ferdinand Adolf Heinrich August Graf Von Zeppelin foi o criador do dirigível que fez o primeiro vôo em 1900, no entanto, o que pouca gente sabe é que o inventor tem descendentes no Brasil. São dois netos, um que mora em Campinas (MG) e o que vive na região.
Aos 64 anos, o neto de Zeppelin conta que poucas pessoas o conhecem na cidade ou mesmo na região em que vive. “Eu fico feliz quando alguém me reconhece, mas isso é raro. Normalmente, quando pedem a identidade e vêem meu nome, aí perguntam se sou parente do criador do Zeppelin”, conta e orgulhoso, assente que é neto do inventor alemão.
Nascido na Holanda, Ferdinand veio para o Brasil com apenas quatro anos, pois o pai recebem uma proposta de emprego e desde 1972 vive em Santa Rita do Sapucaí, para onde se mudou em busca de concluir os estudos. Na cidade, ele casou-se e formou-se em engenharia eletro-eletrônica.
Depois de formado, ele viveu durante 20 anos em Ipatinga (MG) onde viu o nome de origem alemã ser ‘aportuguesado’.
“Muita gente me chamava de ‘Zé’ ou de ‘Pelin’, então achavam que meu nome era Zé Pelin”, diverte-se, com o trocadilho feito pelos mineiros.
Em 1997, Ferdinand voltou para Santa Rita, mas guarda as raízes européias com orgulho e exibe o brasão e o anel, símbolos do título de Conde, dado ao avô ainda na Alemanha em razão do invento. No entanto, o neto do grande criador conta que algumas decepções fizeram com que o criador do dirigível se refugiasse na Holanda.
“Quando ele viu que o dirigível estava sendo utilizado na guerra, ficou muito chateado e após uma grande tragédia com um dirigível, resolveu migrar para outro país, onde viveu até 1917, quando faleceu”, conta o neto, que recebeu o título de Conde, mas importa-se, de fato, com a herança que carrega no sangue.

Histórias próximas

Com uma memória de causar inveja, aos 80 anos, a professora aposentada Maria Luíza Cássia Matagrano, moradora de Santa Rita do Sapucaí lembra-se, com detalhes, de uma passagem no ano de 1936, quando foi ao Rio de Janeiro com os pais e se assustou com uma grande sombra no céu. Era um dirigível. “Eu fiquei com medo, porque foi muito impactante. É algo que lembro com detalhes, pois foi surpreendente. Era uma sombra enorme, entre os prédios, que eram baixos e o dirigível voava muito baixo, mas foi inesquecível”, conta.
O susto deu lugar à curiosidade e coube ao pai de Maria Luíza explicar a origem do objeto, até então estranho para uma garotinha de apenas quatro anos. “Meu pai gostava muito de história e quando vimos o dirigível, ele disse: ‘Só pode ser coisa de alemães’, e realmente era”, lembra.
E agora, sabendo que o neto do criador vive próximo a ela, Maria Luíza confessa que está surpresa. “Gostaria de tomar um cafezinho com ele”, almeja.

(Fonte: G1 Sul de Minas em 09/08/2012)

Santa Rita é notícia - Justiça Eleitoral disponibiliza mais de 500 mil urnas para as Eleições 2012

Justiça Eleitoral disponibiliza mais de 500 mil urnas para as Eleições 2012


As eleições municipais de outubro contarão com 501.923 urnas eletrônicas, distribuídas entre todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) do país. Os equipamentos atenderão os mais de 138,5 milhões de eleitores que votarão nas Eleições 2012. Apenas os eleitores do Distrito Federal, de Fernando de Noronha-PE e os que residem no exterior não votarão nas eleições municipais deste ano.
Do total de 501.923 urnas, 35 mil são novas, do Modelo UE 2011, adquiridas para atender à demanda crescente do eleitorado. Destas, 26.670 já foram entregues ao TSE pela fábrica em Santa Rita do Sapucaí-MG, restando entregar 8.330, o que será feito até o próximo dia 17 de agosto, no máximo.
As outras urnas eletrônicas são dos modelos UE 2010 (117.835), UE 2009 (194.665), UE 2008 (57.849), UE 2006 (24.643) e UE 2004 (71.931), sendo que os modelos 2004, 2006 e 2008 correspondem ao quantitativo de urnas que estão sendo atualizadas.
Tal atualização se refere ao hardware das respectivas urnas, que possuíam como mídia de resultado os ultrapassados disquetes. Esses disquetes estão sendo substituídos por outra mídia de resultado, semelhante a um pen drive (USB). Também está sendo feita a substituição dos cartões de memória contidos nas urnas eletrônicas, os flash cards, por cartões com capacidade maior.
Cada urna eletrônica, independentemente do ano de fabricação, tem vida útil de 10 anos, podendo ser plenamente utilizada nesse período.

Identificação biométrica

As urnas que serão disponibilizadas para as Eleições 2012 já contam com o leitor biométrico para a identificação do eleitor por meio das impressões digitais, com exceção dos equipamentos Modelo UE 2004.
No pleito de outubro, serão identificados pela nova tecnologia mais de 7,7 milhões de eleitores de 299 municípios de 24 Estados do país.
A biometria permite à Justiça Eleitoral garantir ainda mais segurança à identidade do eleitor, uma vez que cada pessoa possui digitais únicas, o que impede a tentativa de fraude no momento da votação.
Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas no site Biometria e Urna Eletrônica.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Você sabia? - A Brasileira

A Brasileira

Em Lisboa, existe uma cafeteria centenária chamada “A Brasileira”. Em 19 de Novembro de 1905, A Brasileira abria as suas portas na Rua Garrett, n.º 120-122, junto ao Largo do Chiado, pondo à venda o "genuíno café do Brasil".
Nesse dia, quem levasse um quilo - pela quantia de 720 reis - tinha direito a beber uma chávena (correspondente a nossa xícara de chá) de café de graça.
A Brasileira do Chiado vendia o café do Brasil, produto muito pouco apreciado ou até evitado pelas donas de casa lisboetas naquela época. Adriano Telles, fundador da cafeteria, vivera no Brasil e importava o café sem dificuldades, bem como outros produtos como goiabada, tapioca, pimentas, chá e farinha.
Três anos depois, A Brasileira, começou a vender café em chávenas, e o público aumentou levando à realização de obras de remodelação que deram uma nova cara ao estabelecimento, decorado com mobiliário de carvalho em estilo Renascença, talhas douradas e espelhos nas paredes.
As obras deram um novo aspecto ao café que se tornou num "elegante e luxuoso salão" e o Chiado passou a contar com um estabelecimento moderno e com todas as características próprias de um café.
As paredes estão decoradas com diversas obras de pintores portugueses. Com toda a importância que teve na vida cultural do país, A Brasileira do Chiado mantém uma identidade muito própria, quer pela sua decoração, quer pela simbologia que representa por se encontrar ligada a círculos de intelectuais, escritores e artistas de renome. 

A assiduidade de Fernando Pessoa motivou a inauguração, nos anos 80, da estátua em bronze da autoria de Lagoa Henriques, que representa o escritor sentado à mesa em frente à cafeteria. Um dos percursos habituais do poeta era entre a sua casa e o Largo do Chiado, rumo ao local de encontro habitual de poetas e pensadores portugueses.
Conta uma das biógrafas de Cecília Meireles que, numa de suas viagens a Portugal ela marcou um encontro com o poeta Fernando Pessoa no café. Sentou-se ao meio-dia e esperou em vão até duas horas da tarde. Decepcionada, voltou para o hotel, onde recebeu um livro autografado pelo autor lusitano. Junto com o exemplar, a explicação para o "furo": Fernando Pessoa tinha lido seu horóscopo pela manhã e concluído que não era um bom dia para o encontro.
Que pena!!! Certamente teria sido um encontro poético fantástico.

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Mia Couto

Para ti
Foi para ti 
que desfolhei a chuva 
para ti soltei o perfume da terra 
toquei no nada 
e para ti foi tudo 

Para ti criei todas as palavras 
e todas me faltaram 
no minuto em que talhei 
o sabor do sempre 

Para ti dei voz 
às minhas mãos 
abri os gomos do tempo 
assaltei o mundo 
e pensei que tudo estava em nós 
nesse doce engano 
de tudo sermos donos 
sem nada termos 
simplesmente porque era de noite 
e não dormíamos 
eu descia em teu peito 
para me procurar 
e antes que a escuridão 
nos cingisse a cintura 
ficávamos nos olhos 
vivendo de um só 
amando de uma só vida 
(Mia Couto)

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Cecília Meireles

Inscrição
Sou entre flor e nuvem, 

Estrela e mar. 
Por que havemos de ser unicamente humanos, 
Limitados em chorar? 

Não encontro caminhos 
Fáceis de andar. 
Meu rosto vário desorienta as firmes pedras 
Que não sabem de água e de ar. 

E por isso levito. 
É bom deixar 
Um pouco de ternura e encanto indiferente 
de herança, em cada lugar. 

Rastro de flor e estrela, 
Nuvem e mar. 
Meu destino é mais longe e meu passo mais rápido: 
A sombra é que vai devagar.
(Cecília Meireles)

Persona - Jorge Amado

Jorge Leal Amado de Faria (Itabuna, 10 de Agosto de 1912 – Salvador, 6 de Agosto de 2001)

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Ninguém vice sem um pouco de poesia... - Adélia Prado

Briga no beco

Encontrei meu marido às três horas da tarde
com uma loura oxidada.
Tomavam guaraná e riam, os desavergonhados.
Ataquei-os por trás com mãos e palavras
que nunca suspeitei conhecer.
Voaram três dentes e gritei, esmurrei-os e gritei,
gritei meu urro, a torrente de impropérios.
Ajuntou gente, escureceu o sol,
a poeira adensou como cortina.
Ele me pegava nos braços, nas pernas, na cintura,
sem me reter, peixe-piranha, bicho pior, fêmea-ofendida,
uivava.
Gritei, gritei, gritei, até a cratera exaurir-se.
Quando não pude mais fiquei rígida,
as mãos na garganta dele, nós dois petrificados,
eu sem tocar o chão. Quando abri os olhos,
as mulheres abriam alas, me tocando, me pedindo graças.
Desde então faço milagres.
(Adélia Prado)

Ninguém vive sem um pouco de poesia - Lya Luft


Blog: Já indiquei este livro aqui. É lindíssimo.

Santa Rita é notícia - Feira de tecnologia tem rastreador de pessoas e controle de TV interativo


Feira de tecnologia tem rastreador de pessoas e controle de TV interativo

Evento em Santa Rita do Sapucaí (MG) traz 30 aparelhos inovadores. 
Segundo organização, feira deve movimentar R$ 700 milhões em negócios.


A 12ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica (Fivel) que começou nesta quarta-feira (1º) em Santa Rita do Sapucaí (MG), traz 88 estandes de 42 fábricas com as últimas novidades tecnológicas. A exposição conta com 10 mil produtos, entre eles 30 invenções inovadoras que atraem a curiosidade dos visitantes.
Entre as novidades está o rastreador de pessoas que foi desenvolvido por uma empresa de alarmes. O dispositivo pode ser usado para rastrear  principalmente estudantes, grandes empresários, artistas ou cargas valiosas. O aparelho tem dispositivo de pânico com acionamento por movimento. A partir de um software de monitoramento, o rastreador estabelece rotas pré-definidas, áreas permitidas e não permitidas para a pessoa ou carga transitar. O aparelho aciona escuta sigilosa e monitora via internet, pelo computador ou celular, utilizando mapas digitalizados e fotos por satélite em tempo real. O dispositivo é compacto e pode ser carregado no bolso, na bolsa ou preso à cintura. Ele já está no mercado e custa R$ 520 a unidade.
Outra novidade é o controle remoto que permite interatividade com a programação de TV. Batizado de TeraTV, o aplicativo faz com que o telespectador possa participar dando opiniões em enquetes. O software deve ser disponibilizado pela emissora e na outra ponta o telespectador, com o controle remoto, já faz essa interação. O sistema foi desenvolvido por três ex-alunos do curso de sistema de informação do Inatel. O projeto está pronto para ser testado no mercado.

A feira


A Fivel acontece de dois em dois anos em Santa Rita do Sapucaí e é uma chance para que as indústrias do Vale da Eletrônica mostre as novidades tecnológicas. De acordo com a organização do evento, mais de R$ 700 milhões em negócios devem ser encaminhados durante a exposição.
“Os visitantes terão a oportunidade também de visitar nossas fábricas. Nós estamos muito otimistas com o movimento deste ano, onde as pessoas vão poder ver que no Vale da Eletrônica temos a pesquisa, o desenvolvimento e a produção fabril”, afirma o presidente do Sindicato do Vale da Eletrônica, Roberto de Souza Pinto.
A Fivel acontece até sexta-feira (3). Cerca de 10 mil pessoas devem passar pela feira.

Serviço: 
12ª - Feira Industrial do Vale da Eletrônica - FIVEL 2012 
De 1º a 3 de agosto, das 14h às 21h 
Ginásio do Inatel - Avenida João de Camargo, 510, Centro - Santa Rita do Sapucaí - MG

(Fonte: G1 de Sul de Minas em 01/08/2012)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...