sexta-feira, 27 de julho de 2012

Santa Rita é notícia - Governo de Minas inaugura centro inédito para atender pessoas com deficiência

Governo de Minas inaugura centro inédito para atender pessoas com deficiência

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) investe no desenvolvimento e na fabricação de instrumentos tecnológicos que assegurem autonomia e independência a pessoas com deficiência. No próximo dia 1º de agosto, às 14h, o secretário de Ciência e Tecnologia, Narcio Rodrigues, inaugura em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, o Centro de Transferência de Tecnologia Assistiva (CDTTA).  O foco é a aposta na melhoria de qualidade de vida aos deficientes. O centro é resultado de parceria com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). O governo mineiro está investindo cerca de um milhão e duzentos mil reais na implantação deste CDTTA.
Esta iniciativa integra um conjunto mais amplo de ações do programa Rede Mineira de Tecnologia Assistiva, do Governo de Minas, voltado para o atendimento de um universo de cerca dois milhões e seiscentos mil deficientes existentes no Estado, de acordo com avaliações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
“O nosso objetivo é a consolidação da Rede Mineira de Tecnologia Assistiva”, destaca o secretário Narcio Rodrigues, ressaltando também a implantação da Rede Tecnológica das APAES – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais em 148 unidades espalhadas por todas as regiões do Estado. Os recursos alocados para esta iniciativa é de R$5.429,769,14, usados na capacitação profissional e no desenvolvimento de equipamentos especiais  na área de inclusão digital, além de oficinas voltadas para o processamento de alimentos.
Em Pará de Minas, o governo planeja também a implantação de incubadora de tecnologia Assistiva, reunindo empresas com conhecimento na área e a criação de um núcleo de qualificação profissional na montagem de órtese e prótese, com a previsão de R$1.709.198,00 em investimentos. Será instalado ainda um programa de qualificação e formação de professores e pais para atendimento às APAES e escolas especializadas voltadas para o deficiente.
Já em Diamantina, no Hospital Nossa Senhora da Saúde, investimento da ordem de R$1,7 milhão, será aplicado em reabilitação e montagem de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção para deficientes daquela região. Estas iniciativas tem também a parceria do Governo Federal. “Estamos aguardando a liberação destes recursos para darmos inicio aos investimentos”, cobra o secretário, destacando que na formalização da parceria está o sucesso no atendimento aos de deficientes.
Equipamentos
O Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia Assistiva de Santa Rita do Sapucaí estará integrado às ações já desenvolvidas pela área de engenharia biomédica do Inatel. Com a experiência acumulada de ser uma das seis instituições de ensino no Brasil que oferece o curso de graduação em Engenharia Biomédica, o Instituto vem desenvolvendo desde 2003, alguns projetos que irão se somar a outros que serão formulados pelo CDTTA.
Entre eles se destacam o elevador ortostático que vem sendo desenvolvido há dois anos e sua principal finalidade e um novo tratamento através da reeducação da marcha para pessoas com lesão na medula, basicamente para pacientes com tetraplegia e paraplegia. Os efeitos práticos do elevador são: aquisição de independência para atividades rotineiras como tomar banho, higiene pessoal e a transição da cadeira para outros locais.
Bruno Medeiros, paciente que participou da pesquisa do elevador no período de abril de 2010 a dezembro de 2011, comemora os avanços conquistados com o uso do equipamento. “Depois de quase dois anos consegui, com o elevador, apoiar os pés no chão e aprender a trocar passos. O ganho de confiança e força nas pernas foi gradativo. Após o aprendizado experimentei o gostinho de andar com ele e sem ele”, revela Bruno, que retornou a andar e conquistar a sua autonomia.
Além do elevador, o Centro desenvolve também a cadeira de rodas micro controlada com “joystick”. Segundo os engenheiros do Inatel, ela tem um diferencial em relação a algumas marcas existentes no mercado. Além do custo reduzido, ela tem comando de voz, um design mais confortável, além de maior potência que lhe permite de percorrer longas distâncias com  economia de energia.
O telefone móvel emergencial para pessoas com deficiência auditiva é outra inovação que o CDTTA irá oferecer aos deficientes mineiros. Por meio de um aplicativo que poderá ser baixado no aparelho de celular comum, o surdo terá condições de comunicar-se com setores de emergência como polícia, bombeiros e sistemas de saúde.
Parceria
O diretor da Inatel,  Marcelo de Oliveira Marques, está convencido de que o empenho dos seus  profissionais  somado ao decisivo apoio do Governo de Minas, através da Sectes e da Fapemig fará do CDTTA um espaço para desenvolvimento de tecnologias que contribuirão com a qualidade de vida dos deficientes físicos da região, do Estado e do Brasil.
"As atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico já contribuem com o desenvolvimento de nosso país na razão de que promovem a inovação nas empresas, fortalecendo o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Com a implantação do CDTTA, as pesquisas e trabalhos desenvolvidos em nosso curso de Engenharia Biomédica poderão ser mais facilmente transformados em produtos e equipamentos que possibilitarão o aumento da autonomia, da independência e qualidade de vida dos cidadãos com deficiência."
(Fonte: Agência Minas)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Santa Rita é notícia - Feira de eletrônica deve atrair 10 mil visitantes no Sul de Minas


Feira de eletrônica deve atrair 10 mil visitantes no Sul de Minas

Feira do Vale da Eletrônica será realizada no campus do Inatel, em Santa Rita do Sapucaí

A 12ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica (Fivel 2012) espera 10 mil visitantes no campus do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), em Santa Rita do Sapucaí (MG), de 1 a 3 de agosto.
Considerado um dos maiores eventos do setor no país, a feira é uma vitrine dos produtos e inovações tecnológicas desenvolvidos no Arranjo Produtivo Local (APL) da cidade. Na edição 2012 estão 88 estandes, distribuídos em uma área de 1,2 mil metros quadrados. 
Além de apresentar novos produtos, a Fivel 2012 é uma oportunidade para compradores e representantes de empresas fecharem novos contatos e ampliarem sua visibilidade. O evento reúne indústrias do setor eletroeletrônico para fazer negócios e lançamentos de diversos produtos e inovações tecnológicas do “Vale da Eletrônica”.
Considerado um dos principais polos de tecnologia do país, o Vale da Eletrônica congrega 142 empresas, gera 10 mil empregos e fabrica 13,7 mil produtos nas áreas de eletrônica, telecomunicações, informática, automação comercial, residencial e industrial, segurança, eletromédicos e prestação de serviço, e tem faturamento previsto de R$ 1,7 bilhão neste ano.

Serviço:
12ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica (Fivel 2012)

Data: 1º a 3 de agosto, das 14h às 21h
Local: Ginásio do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) - Avenida João de Camargo 510, Centro, Santa Rita do Sapucaí (MG)
 (Fonte:  EPTV em 25/07/2012)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

A arte do Origami - Copo ou lixinho de pia


Copo ou lixinho de pia
1 – Coloque o papel na sua frente na posição losango.

2 – Dobre ao meio levando a ponta inferior até à superior. Leve a ponta lateral direita para a esquerda na linha tracejada.

3 – Repita a operação com a ponta lateral esquerda.

4 – Dobre a ponta superior sobre as partes dobradas anteriormente pegando apenas um papel.

5 – Repita a operação com a outra ponta do papel. 

6 – Está pronto seu copo.

Você pode fazer este Origami com folhas de jornal duplas para servir de lixinho ecológico de pia.

FIVEL 2012


A 12ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica - FIVEL será realizada entre os dias 1 a 3 de agosto de 2012, no ginásio Poliesportivo do Inatel em Santa Rita do Sapucaí das 14h às 21h. Durante a feira, as empresas estarão promovendo diversos eventos simultâneos, com destaque para lançamentos de produtos. 
A realização da 12ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica - FIVEL visa consolidar o APL (Arranjo Produtivo Local) de eletroeletrônicos, tornando a região do Sul de Minas em um dos principais centros de excelência do setor no Brasil. 
A FIVEL é uma oportunidade para que os empresários possam divulgar a sua empresa e seus respectivos produtos para os potenciais clientes, fornecedores e porque não, a comunidade. 
A feira é uma realização do Sindvel junto a Associação Industrial de Santa Rita do Sapucaí e conta com diversas parcerias, incluindo o Governo Federal e Estadual, FIEMG – Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, SEBRAE e o apoio do Inatel – Instituto Nacional de Telecomunicações. O Sindvel atua em toda iniciativa possível em prol da competitividade de seus associados para o mercado globalizado, buscando sempre possibilitar a captação de fontes de recursos para capital de giro das empresas do APL Eletroeletrônico do Vale da Eletrônica. 
O APL Eletroeletrônico possui aproximadamente 142 empresas que empregam em torno de 9.500 colaboradores, aonde chegam a fabricar mais de 13.700 itens nas áreas de eletrônica, telecomunicações, informática, automação residencial e industrial, segurança e prestações de serviço. Todo desenvolvimento do Pólo está ligado ao ensino, onde se destacam a seguintes entidades: a Escola Técnica de Eletrônica (ETE), o Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL), Faculdade de Administração e Informática (FAI) e Colégio Tecnológico. 
O Vale da Eletrônica em Santa Rita do Sapucaí - MG é um dos principais Pólos de Tecnologia reconhecido nacionalmente e internacionalmente. As principais empresas que participam da Feira Industrial do Vale da Eletrônica têm como características comuns a busca constante pela inovação, sofisticação e pioneirismo tecnológico.

Para mais informações:
Fernanda Carneiro
E-mail: controladoria@sindvel.com.br
Skype: fernandapcarneiro89
Telefone:             35 3471-2055      

Dica de Leitura - "Reparação"

Ian McEwan é um de meus autores favoritos e esteve presente este ano na FLIP - Feira Literária Internacional de Paraty. Dentre suas várias obras, uma se destaca: REPARAÇÃO, que já virou filme. História densa, intrigante, que nos leva a uma reflexão profunda sobre a vulnerabilidade do coração humano.O pano de fundo é a Segunda Guerra Mundial. O interessante é que o dado mais importante só é revelado no epílogo, o que faz com que a curiosidade vá aumentando gradativamente. Culpa e perdão, estética e ética, esses são os componentes dessa obra prima.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Adélia Prado

Janela

Janela, palavra linda.
Janela é o bater das asas da borboleta amarela.
Abre pra fora as duas folhas de madeira à-toa pintada,
janela jeca, de azul.
Eu pulo você pra dentro e pra fora, monto a cavalo em você,
meu pé esbarra no chão.
Janela sobre o mundo aberta, por onde vi
o casamento da Anita esperando neném, a mãe
do Pedro Cisterna urinando na chuva, por onde vi
meu bem chegar de bicicleta e dizer a meu pai:
minhas intenções com sua filha são as melhores possíveis.
Ô janela com tramela, brincadeira de ladrão,
clarabóia na minha alma,
olho no meu coração.
(Adélia Prado)

Na vitrola aqui de casa - Amor

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Sophia de Mello Breyner Andresen

Para atravessar contigo o deserto do mundo 


Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento
(Sophia de Mello Breyner  Andresen)

domingo, 22 de julho de 2012

Modos e modas - Mais maneiras de usar lenços

Modos e modas - Dove ensina a usar lenços

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Adélia Prado

Bendito


Louvados sejas Deus meu Senhor,
porque o meu coração está cortado a lâmina,
mas sorrio no espelho ao que,
à revelia de tudo, se promete.
Porque sou desgraçado
como um homem tangido para a forca,
mas me lembro de uma noite na roça,
o luar nos legumes e um grilo,
minha sombra na parede.
Louvado sejas, porque eu quero pecar
contra o afinal sítio aprazível dos mortos,
violar as tumbas com o arranhão das unhas,
mas vejo Tua cabeça pendida
e escuto o galo cantar
três vezes em meu socorro.
Louvado sejas porque a vida é horrível,
porque mais é o tempo que eu passo recolhendo despojos,
– velho ao fim da guerra como uma cabra –
mas limpo os olhos e o muco do meu nariz,
por um canteiro de grama.
Louvados sejas porque eu quero morrer,
mas tenho medo e insisto em esperar o prometido.
Uma vez, quando eu era menino, abri a porta de noite,
a horta estava branca de luar
e acreditei sem nenhum sofrimento.
Louvado sejas!
(Adélia Prado)

Santa Rita é notícia - Visão Interativa para Deficientes quer aposentar o uso da bengala por cegos

Visão Interativa para Deficientes quer aposentar o uso da bengala por cegos

Dispositivo com sensores, feito por alunos de uma escola técnica de Minas Gerais, deve ser comercializado ainda este ano por um custo de R$ 300


Joaquim (com o dispositivo), Luana e Wélington:
estudantes que criaram o VID (Foto: Divulgação)

As férias de meio de ano dos estudantes Wélington Borsato Rodrigues, 17 anos, Luana Pereira Vaz de Lima, 18, e Joaquim Eduardo Oliveira, 16, estão bastante comprometidas. As viagens foram substituídas pelo trabalho duro. O trio desenvolve um protótipo que pode revolucionar a vida de pessoas cegas e com deficiência visual. Trata-se do Visão Interativa para Deficientes, ou VID.
Os alunos da Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa começaram a desenvolver o equipamento para a feira de ciências da escola em fevereiro de 2011. O sucesso foi tão grande que  foram incentivados a aprimorar o dispositivo para apresentar em outra feira, dessa vez a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia da USP. “Lá, conseguimos sete prêmios, sendo três internacionais”, conta Wélington. Os alunos acabaram ganhando, cada um, uma bolsa de iniciação científica para investir no projeto.
Os meninos já começaram a fazer o processo de patente do VID mas, por enquanto, estão aprimorando o dispositivo para apresentar em outra feira, em outubro, em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. Wélington acredita que até novembro o Visão Interativa para Deficiente se torne uma realidade e seja comercializado com o custo de aproximadamente R$ 300.
Ainda faltam alguns ajustes. “Por exemplo, para detectar o degrau, o dispositivo ainda está falho”, conta. O Visão Interativa para Deficientes é um colete com nove sensores espalhados pelo corpo –  pernas, braços e óculos -, q ue funcionam separadamente. "Se a pessoa estiver se aproximando de uma cadeira, os sensores das pernas serão acionados, mas não os dos óculos", exemplifica Wélington. "Já se a pessoa passa por uma cabine telefônica, aí sim, os sensores dos óculos vibraram", conclui.
A ideia de construir um dispositivo que substituísse a bengala surgiu a partir de uma pesquisa feita na internet, em entrevistas com pessoas da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e com um professor cego da escola. A proposta de aplicar o conhecimento que receberam em sala de aula acabou se tornando um projeto de grande porte e que estimula o desenvolvimento da tecnologia assistiva. O termo é usado para identificar recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover vida independente e inclusão.
(Fonte: Rede Globo em 13/07/2012)

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Lya Luft

Conflito

Tenho medo das águas do destino
a invadirem o que penso e faço,
numa linha de infinda
contradição.
Eu sou assim:
quero fugir mas chamo,
quero ficar mas me assusta
não ter em mim nada seguro
e certo.

Nunca receio a alegria,
para qual todos os milagres
são normais.
Mas quando tarda quem amo,
meu coração fica exposto
e aberto.

E mesmo assim eu persisto,
e ainda assim espero
ainda, como criança sozinha
atrás do muro.
(Lya Luft)


Santa Rita é notícia - A Lei de Responsabilidade Educacional


A Lei de Responsabilidade Educacional

Em 1943, o psicólogo Ibrahim Maslow, desenvolveu uma série de conceitos visando estimular as pessoas para o aprendizado. Criou uma escola de pensamento que se contrapos, ao longo das décadas, ao mecanicismo do ensino convencional.
Uma de suas constatações é que o ser humano consegue aprender uma cota máxima de informações por dia. Perdeu o dia, perdeu a cota, que não será recuperada nos dias seguintes.
Essa constatação trouxe implicações profundas na educação e no aprendizado – escolar e empresarial.
A educação é um processo cumulativo e não tem como recuperar o dia que se perdeu, já que em cada dia cabe apenas uma cota. Porque um jovem leva 25 anos do primário à educação superior completa? Porque não tem como acumular mais informações no período.
Por isso mesmo, não se pode parar nunca, usando a escola, a Internet, as leituras em casa para acumular conhecimento.
***
A partir dessas constatações, Vicente Falconi – professor emérito da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e consultor renomado – percebeu algo historicamente muito errado na educação brasileira, a partir da definição federativa: o curso fundamental (9 anos) é de responsabilidade dos prefeitos; o curso médio, dos governadores; a educação superior, do governo federal.
***.
A parte mais relevante é o básico, período onde a criança irá acumular conhecimento que lhe permitirá, mais tarde, entender o curso médio e o superior. E está entregue à instância menos organizada da administração pública: as prefeituras, sujeitas a toda sorte de injunções políticas, sofrendo da descontinuidade administrativa, do assédio de cursos apostilados e outras aventuras.
***
Recentemente, Falconi visitou Santa Rita do Sapucaí que com a ETE (Escola Técnica de Eletrônica) e a Inatel tornou-se uma referência de tecnologia no país. Na minha adolescência, aliás, terminar o ginásio e entrar na ETE era o sonho de todo estudante. Eu mesmo estudei 6 meses por lá até perceber que minha vocação era o jornalismo.
Falconi indagou sobre o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Apenas mediano, responderam. A razão principal é que os alunos que chegavam passavam por um ensino fundamental horrível. A ETE precisou criar um reforço de 6 meses para prepará-los para o curso, mesmo assim sendo insuficiente.
***
De que maneira superar esse problema?
O MEC (Ministério da Educação) já desenvolveu indicadores satisfatórios, no ENEM e no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Personagem central desses indicadores, é o Secretário Executivo do MEC José Henrique Paim Fernandes.
O MEC conseguiu montar um sistema nacional de acompanhamento. A rede do MEC junta indicadores de toda ordem e consegue falar online com praticamente todas as escolas da rede pública.
Ganhou-se capacidade de controle, mas não de execução – que continuou nas mãos de Estados e municípios.
O caminho é a aprovação de uma Lei de Responsabilidade Educacional, nos moldes da Lei de Responsabilidade Fiscal. Não apenas para controlar a aplicação dos recursos mas, principalmente, os indicadores de desempenho.
(Fonte: Luis Nassif OnLine  - http://www.advivo.com.br/luisnassif em 18/07/2012)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Dica de diversão - Exposição de Giovanna Brandão

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior.

Dica de diversão - Nise da Silveira - Senhora das imagens

Clique na imagem para vê-la em tamanho maior

Ninguém vive sem um pouco de poesia... - Mário Quintana

Quem ama inventa

Quem ama inventa as coisas a que ama...
Talvez chegaste quando eu te sonhava.
Então de súbito acendeu-se a chama!
Era a brasa dormida que acordava...
E era um revôo sobre a ruinaria.
No ar atônito bimbalhavam sinos, 
Tangidos por uns anjos peregrinos
Cujo dom é fazer ressurreições...
Um ritmo divino? Oh! Simplesmente
O palpitar de nossos corações
Batendo juntos e festivamente,
Ou sozinhos, num ritmo tristonho...
Ó! meu pobre, meu grande amor distante,
Nem sabes o bem que faz à gente
Haver sonhado... e ter vivido o sonho!

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Modos e modas - Vários modos de usar lenços e echarpes

Serviço - Inatel oferece curso gratuito de preparação para o vestibular

Inatel oferece curso gratuito de preparação para o vestibular 

O Inatel oferece mais uma vez o Pré-Inatel – Curso de Extensão Comunitária, destinado às pessoas que querem se preparar para ingressar nos cursos de graduação de Engenharia e Tecnologia do Instituto. Gratuito, o curso terá aulas de português, física e matemática, no período noturno. 
Os interessados em participar do curso de extensão devem se inscrever de 9 a 20 de julho, na coordenação de cursos, prédio 3, 2º piso. O horário para inscrição é das 8h às 12h e das 13h30 às 21h30. Os inscritos serão selecionados através de uma prova, marcada para o dia 21 de julho. As aulas começam no dia 6 de agosto e seguem até 23 de novembro. 
Outras informações através do telefone (35) 3471-9345 e vestibular@inatel.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...